Oposição exige mais transparência na pesagem da banana ao Governo Regional

O deputado do JPP, Rafael Nunes, defendeu que os agricultores têm o direito a seguir a pesagem da banana. O PCP e o BE pediram transparência neste processo. O PSD rejeitou a ideia de que se restrinja ou dificulte o acesso à pesagem.

O plenário da Assembleia Regional discutiu esta quinta-feira um projeto de resolução do JPP que recomenda ao executivo madeirense mais transparência na pesagem e selecção da banana. Durante o debate a oposição exigiu ao executivo maior transparência neste processo enquanto o PSD afirmou que a Empresa de Gestão do Setor da Banana (GESBA) “não restringe nem dificulta” o acesso dos produtores a essa pesagem.

Durante o debate na Assembleia Legislativa da Madeira os deputados do JPP, BE e PCP defenderam que é necessária “uma maior transparência” no processo de pesagem da banana.

O deputado do JPP, Rafael Nunes, disse que em 2016 as vendas da GESBA foram acima dos 17 milhões de euros sendo que seis milhões de euros são pagos aos agricultores.

“Não é aceitável que a GESBA não consiga assegurar a transparência da banana, os agricultores têm o direito de seguir a pesagem da banana”, afirmou Rafael Nunes. “Os agricultores querem uma remuneração justa pelo seu trabalho”, destacou o deputado do JPP.

O BE, através de Roberto Almada, considerou “inaceitável” que os agricultores não estejam presentes na pesagem da banana.

“Pode indiciar práticas de má fé da GESBA”, realçou. “Deveria ser permitido aos produtores acompanharem a pesagem”, esclareceu Roberto Almada. “Assim a empresa comprova que tem de pagar determinada quantia aos produtores”, reforçou.

O PCP foi outro partido a pedir mais transparência neste processo de pesagem à empresa.

“É fundamental mais transparência relativamente à pesagem e à classificação da banana e dar melhores condições nos serviços prestados aos produtores”, considerou Ricardo Lume, deputado do PCP.

Em resposta o PSD criticou o JPP por no seu projeto de resolução “apontar os defeitos” e “não apresentar soluções e alternativas”.

O deputado do PSD, Guido Gonçalves, rejeitou a ideia de que “não exista transparência” no processo de pesagem da banana.

“Não corresponde à verdade que a GESBA restrinja ou dificulte o acesso aos produtores”, disse.

Guido Gonçalves referiu que na Ponta do Sol, a GESBA, “criou as condições para que os agricultores sigam o processo”. O deputado acrescentou ainda que o investimento feito contribuiu para “uma maior notoriedade” da marca ‘banana da Madeira’.

“Aligeirar a qualidade é condenar o setor ao insucesso”, realçou.

O deputado do PSD Madeira destacou que a GESBA presta entre outras coisas apoio administrativo e financeiro à produção com a ajuda à aquisição de produtos fito-farmacêuticos e ainda “informação e apoio” com vista a maximizar as respectivas produções.

Ler mais
Recomendadas

PremiumO Vinho Madeira que passa de geração em geração desde 1850

O maior desafio do Vinho Madeira é aumentar a produção das castas nobres Sercial, Verdelho, Boal, Malvasia e Terrantez, e diminuir a produção da Tinta Negra, “que já é excessiva”, diz Pereira de Oliveira.

PremiumDireito ainda está “fora de questão” mas “poderia reter” estudantes na região

Para já, não está em cima da mesa a criação de uma licenciatura em Direito na UMa, mas o reitor José Carmo diz que o curso tem procura local.

PremiumO valor do patrocínio num evento como o Rali Vinho Madeira

O Rali Vinho Madeira é um evento que ao longo dos anos tem atraído milhares às estradas madeirenses. Mas nem só de público vive esta prova de desporto motorizado. O patrocínio é outras das vertentes que sustenta e ajuda a levar cada edição a bom porto. Entre os patrocinadores estão marcas e empresas como a MEO e o BPI.
Comentários