Orçamento? “Eu só sou a favor ou contra aquilo que conheço”

O líder do PSD, Rui Rio, afirmou hoje que o partido terá uma “posição oficial” sobre o Orçamento do Estado (OE) para 2019 quando a proposta for conhecida, sublinhando que só é a favor ou contra aquilo que conhece.

“Podem dizer o que quiserem, eu repito o que digo desde pequenino: não sou a favor nem contra aquilo que desconheço. Eu só sou a favor ou contra aquilo que conheço”, referiu em Vila Verde, onde participou na festa do 44.º aniversário da JSD.

Rio “lembrou” que nenhum dos 10 milhões de portugueses conhece a proposta do próximo OE, “porque ela não existe”.

“Como é que posso dizer que sou a favor ou contra uma coisa que eu desconheço em absoluto e que não existe? Eu recuso-me a fazer política nesses termos”, acrescentou.

Garantiu que “não há divisão nenhuma” no interior do PSD sobre o próximo OE, adiantando que “as pessoas têm a liberdade de pensar como muito bem entendem”.

Quando a proposta de OE for conhecida, o PSD “naturalmente, terá uma posição oficial”.

Até lá, todos têm liberdade de dizer o que pensam. Quando as opiniões das pessoas são genuínas e sentidas, tenho o máximo de respeito. Quando são maldosas, quando são táticas, quando são difamatórias, aí não tenho respeito nenhum”, rematou Rio.

Ler mais
Recomendadas

Marcelo aprova aumentos de 700 euros para juízes, mas critica fosso salarial face aos polícias e militares

Marcelo Rebelo de Sousa destaca que os juízes, e membros de autoridades reguladoras e de supervisão a entidades públicas empresariais e empresas públicas, passando por outras entidades administrativas, já estão com salários mais elevados do que o primeiro-ministro. O Presidente exige que a desigualdade salarial seja “encarada na próxima legislatura”.

Incêndios florestais caíram 26% este ano face a 2018

“Estamos, até hoje, com 6.800 incêndios desde o início do ano, o que significa que temos um número de incêndios 36% inferior à média dos últimos dez anos. E uma área ardida 42% inferior à média dos últimos dez anos”, sublinhou Eduardo Cabrita.

Proteção Civil tem reservas de combustível para “mais de dois meses”

Apesar de garantir que existem reservas para mais de dois meses, Eduardo Cabrita sublinha que as prioridades têm de ser asseguradas quando se fala numa dificuldade de distribuição.
Comentários