Orey aprova alterações à emissão do empréstimo obrigacionista de 30 milhões

A empresa liderada por Duarte d´Orey tinha proposto passar o empréstimo a perpétuo, isto é, sem prazo de maturidade, mas a versão final que foi aprovada aprovou um alongamento da maturidade por 10 anos. Mas há mais mudanças à agenda inicial.

A Orey Antunes viu aprovada pelos obrigacionistas, em Assembleia, a alteração às condições do empréstimo de 30 milhões de euros. Mas ao contrário do que inicialmente estava proposto, não passou as obrigações (que tinham maturidade a 2021) para perpétuas, nem propôs a carência de juros já vencidos.

Para Duarte d’Orey “estas alterações não alteram no essencial os objetivos da proposta e permitem ir de encontro às preocupações manifestadas pelos obrigacionistas pelo que fico muito contente – e muito agradecido – por se encontrarem alternativas que permitam que os obrigacionistas sejam parte da solução”.
Referiu também que ” a empresa dá assim um passo importante no aumento da solidez do seu balanço melhorando de uma forma significativa os seus rácios de endividamento”

A empresa liderada por Duarte d´Orey, entre a convocatória, e a Assembleia de Obrigacionistas que se realizou ontem, esteve a ouvir os obrigacionistas e a tentar encontrar soluções que pudessem ir ao encontro dos interesses de ambas as partes.

Assim, o ponto um foi retirado pela administração. Esse ponto propunha deliberar sobre o estabelecimento de um período de carência no vencimento de juros das Obrigações a ocorrer entre os dias 8 de julho de 2016 e 7 de julho de 2017. Em causa estão 900 mil euros de juros que a Orey terá de pagar aos obrigacionistas.

A empresa viu aprovado o ponto 2 , que baixava a taxa do cupão para 1,5%. “Deliberar sobre a alteração da taxa de juro aplicável às Obrigações, passando a mesma a ser de 1,5% ao ano para os períodos de contagem de juros (Interest Period) que ocorrem a partir do dia 8 de julho de 2017″ foi um ponto aprovado por maioria.

A Orey retirou também o ponto 3 que sujeitava o pagamento dos juros à distribuição de dividendos e reservas. A empresa propunha “deliberar sobre a sujeição do pagamento de juros à verificação da condição de ter sido deliberado no mesmo ano civil pela Emitente distribuir bens aos acionistas (seja a título de dividendos ou de reservas), incluindo o pagamento de juros com data de vencimento de 8 de julho de 2017, sendo que os juros vencidos e não pagos se acumulam até ao seu pagamento”. Esta proposta não recebeu, nos contactos prévios, o agrado dos credores da empresa financeira.

O ponto quatro foi aprovado, mas com uma redação alterada face à inicial. Ficou sem condições, e passou a ser uma proposta de deliberar sobre a constituição de um penhor sobre 6,3 unidades de participação seniores e 7,5 unidades de participação juniores no Fundo de Investimentos em Direitos Creditórios Não Padronizados Araras, bem como sobre os rendimentos do Fundo, para garantia de pagamento dos juros no âmbito das Obrigações.

Também o ponto cinco foi aprovado, mas com uma redação alternativa. Antes estava previsto deliberar sobre a criação da faculdade de a Emitente proceder ao reembolso antecipado total ou parcial das Obrigações em caso de liquidação do Fundo. Mas acabou por passar a proposta de “alterar os termos e condições das Obrigações para que estes passem a prever a faculdade de a Emitente proceder ao reembolso antecipado total ou parcial das Obrigações em caso de liquidação do Fundo de Investimentos em Direitos Creditórios Não Padronizados ou a obrigação de proceder ao reembolso antecipado total ou parcial das Obrigações caso a Emitente distribua dividendos aos sócios”.

Mas a grande alteração reside no ponto 6. A empresa liderada por Duarte d´Orey tinha proposto passar o empréstimo a perpétuo, isto é, sem prazo de maturidade e a versão final que foi aprovada, contemplou um alongamento da maturidade. A proposta aprovada passa por “alterar os termos e condições das Obrigações por forma a que a data de vencimento das Obrigações (Maturity Date) deixe se ser o dia 8 de julho de 2021 e passe a ser o dia 8 de julho de 2031”.

Ler mais
Recomendadas

Indústria Alimentar: o caminho da digitalização

No contexto da Indústria Alimentar, as organizações para se adaptarem necessitam de investir, e, atualmente, as tecnologias digitais chave passam pela: Robótica, Serviços móveis, Tecnologia Cloud, Internet-of-Things, Cibersegurança, Big Data e Analítica avançada, Impressão 3D, Inteligência Artificial e Social Media. Os consumidores, também eles cada vez mais nativos digitais, ditam tendências e as indústrias adaptam-se, quer […]

Japão testa drones que transportam pessoas para diminuir o trânsito

Os responsáveis pelo projeto apontam que os drones tripulados poderão ser uma solução para combater o trânsito: “O Japão é um país com uma densidade populacional muito elevada, e como tal, carros voadores poderão ser a solução para diminuir o trânsito no país”.

Procrastinação ou a coragem de mudar

É preciso saber e decidir sem vacilar. Caso contrário, faremos parte das fotos guardadas no baú. Para mais tarde recordar.
Comentários