“Os Maias” de Eça de Queirós vão deixar de ser leitura obrigatória no secundário

“A Ilustre Casa de Ramires” também deixará de constar nos planos de leitura entre o 10º e 12º ano. Na disciplina de história existem conteúdos, que irão desaparecer das aulas.

As obras de Eça de Queirós “Os Maias” e “A Ilustre Casa de Ramires” não vão ser leitura obrigatória no ensino secundário, a partir do próximo ano letivo. O jornal “Público” avança esta quarta-feira que estes livros fazem da parte da proposta denominada “aprendizagens essenciais”, na disciplina de português do 10º ao 12º ano.

Estas “aprendizagens essenciais” vão suceder as metas curriculares aprovadas pelo ministro da Educação, Nuno Crato. O Ministério da Educação refere que as “aprendizagens essenciais” foram elaboradas pela associação de professores e visam colmatar as dificuldades interpostas pela “estensão” do programa curricular em vigor.

O Ministério da Educação sublinha que “a avaliação da educação literária terá em conta o conhecimento da cultura literária e o conhecimento dos autores e movimentos literários, o que pode ser aferido com base em leituras diferenciadas”.

Na disciplina de história A, também existem conteúdos que irão desaparecer. A professora de história Elisabete Jesus, dá como exemplo ao “Público”, o desaparecimento no 10º ano do conceito sobre os direitos humanos, que era abordado no módulo “abertura europeia ao mundo”.

Recomendadas

Vistos gold: Investimento captado mais do que triplicou em julho para 98,2 milhões de euros

O investimento captado através dos vistos ‘gold’ mais do que triplicou (aumentou 276%) em julho, face ao período homólogo de 2018, para 98,2 milhões de euros, segundo contas feitas pela Lusa com base nos dados estatísticos do SEF.

Número de viciados em jogo online aumentou mais de 8% em Portugal

No espaço de seis meses, 38.600 pessoas pediram para ser impedidas de jogar online, mais 3.200 pessoas face a 2018, uma subida de 8,3%.

Avião de carga aterrou de emergência no aeroporto do Porto  

Um avião de carga com dois tripulantes fez hoje uma “aterragem de emergência” em segurança no aeroporto do Porto devido a um “problema no motor”, disse à Lusa fonte da Proteção Civil.
Comentários