Otimismo reina em Wall Street: principais índices abrem a valorizar

Após as quedas de ontem e em véspera do fecho para a celebração do Dia da Independência, Wall Street abriu no ‘verde’.

Brendan McDermid / Reuters

Os principais índices norte-americanos abriram a sessão desta terça-feira, 2 de julho, a valorizar, em véspera do encerramento de Wall Street para a celebração do Dia da Independência, feriado nacional nos Estados Unidos da América. Na verdade, mesmo hoje as praças de Nova Iorque vão encerrar mais cedo do que o normal, às 18:00 (hora de Lisboa).

Assim, o Dow Jones iniciou a sessão a valorizar 0,15% para 24.307,18 pontos; o S&P 500 subia 0,31% para 2.726,71 pontos e o Nasdaq era o que mais confiança dos investidores agregava, com uma subida de 0,81% para 7.097,82 pontos.

“Wall Street arranca em alta, numa tarde em que os preços do petróleo atingem o valor mais elevado desde novembro de 2014, o que impulsiona as empresas ligadas ao ‘ouro negro’, mas penaliza as transportadoras aéreas, setor que o Deutsche Bank acabou por rever em baixa”, explica Ramiro Loureiro, Mtrader do Millennium Investment Banking. O analista de mercados salienta ainda que o facto de as bolsas do ‘Velho Continente’ continuarem em alta “perante o aliviar dos receios políticos na Alemanha”.

No mercado petrolífero, o Brent ganha 1,55%, para os 78,50 dólares por barril, enquanto o crude WTI valoriza 1,39%, para os 74,97 dólares. Quanto ao mercado cambial, o euro avança 0,13% face ao dólar, para 1,1655 dólares, enquanto a libra soma 0,21%, para 1,3173 dólares.

De acordo com a “Bloomberg”, o presidente-executivo da Comcast continuará interessado nos ativos de entretenimento da 21st Century Fox e vai tentar superar a oferta apresentada pela Walt Disney, de 71,3 mil milhões de dólares (cerca de 61,2 mil milhões de euros). A Fox perde 0,49% em Nasdaq, para os 48,47 dólares. Já a Comcast segue o otimismo da bolsa de Nova Iorque e sobe 0,06%, no mesmo índice, para 33,19 dólares.

Relacionadas

Trump volta à carga: quer países europeus a gastar mais dinheiro na NATO

A próxima cimeira da organização é em 11 e 12 de julho e o presidente norte-americano regressa à mesma agenda que praticamente bloqueou a cimeira anterior, organizada em maio do ano passado.

Andrés Obrador e Donald Trump discutem redução da migração na fronteira entre México e EUA

O presidente eleito do México, Andrés Manuel Lopez Obrador, propôs na segunda-feira ao homólogo dos Estados Unidos, Donald Trump, um plano para criação de empregos naquele país, “reduzir a migração” e “melhorar a segurança” na fronteira.

Governo dos Estados Unidos tenta bloquear entrada da China Mobile no país

Em comunicado, a Administração Nacional de Informação e Telecomunicações, que está sob a tutela do Departamento do Comércio, justificou com motivos de “segurança nacional” a sua recomendação à Comissão Federal de Comunicações, uma agência independente, encarregue de tomar a decisão final sobre a maior operadora do mundo.

“Europa é tão má quanto a China”, disse Trump. Bruxelas prepara retaliação de 300 mil milhões de dólares

Documento da Comissão é um aviso para a administração norte-americana e alega que caso as ameaças de Trump passem da palavra à ação, as retaliações europeias e dos demais mercados “poderão afetar significativamente o volume das exportações norte-americanas”.
Recomendadas

PSI 20 acompanha Europa em alta. Títulos do Grupo EDP impulsionam praça nacional

O principal índice bolsista português soma 0,46%, para 4.855,54 pontos.

Abrandamento da economia poderá ser entrave para Moody’s igualar as pares na avaliação de Portugal

A Moody’s tem agendada uma avaliação à notação da dívida soberana portuguesa esta sexta-feira. A agência poderá querer alinhar-se com a S&P e a Fitch através de uma subida de um grau para ‘Baa2’, mas as incertezas que estão a esfriar o crescimento da economia global poderão ser motivo para manter o ‘status quo’.

Acalmia cambial trouxe bons resultados em Wall Street

O índice tecnológico S&P, .SPL.RCT, que inclui empresas que têm uma maior exposição ao mercado chinês e estiveram no centro das vendas registadas na segunda-feira, foi aquele que mais valorizou nesta sessão, com um crescimento de 1,61%.
Comentários