País Basco adia emissão de ‘green bonds’ devido a instabilidade política em Espanha e Itália

A colocação estava planeada para esta terça-feira, mas o executivo de Íñigo Urkullu resolveu aguardar pela resolução de algumas das incertezas políticas que causaram o aumento do prémio de risco espanhol.

O governo basco decidiu adiar a emissão de 500 milhões de “títulos verdes”, os chamados green bonds, dedicados a projetos sustentáveis, depois de vários bancos terem desaconselhado a colocação. Fonte oficial do Executivo confirmou ao jornal espanhol El País que a decisão teve por base a moção de censura que o PSOE anunciou contra Mariano Rajoy e a situação na Itália.

A colocação estava planeada para esta terça-feira, mas o executivo de Íñigo Urkullu resolveu aguardar pela resolução de algumas das incertezas políticas que causaram o aumento do prémio de risco espanhol e italiano, como a moção de censura contra Rajoy e a falta de governo na Itália.

O financiamento conseguido com a emissão de green bonds – títulos semelhantes a outros tipos de obrigações, mas isentos de taxas por se destinarem a projetos sustentáveis – seria alocado em 81% a projetos sociais e 19% a moradias, geração de empregos, transportes limpos, eficiência energética ou energia renovável, entre outros objetivos.

O governo de Urkullu irá, no entanto, esperar que a “tempestade acalme”, de acordo com o El País, sobre a penalização que as dívidas dos países do sul da Europa estão a sofrer esta terça-feira. Em Espanha, os juros da dívida benchmark subiram para 1,622%, em máximos desde fevereiro. Em Itália sobem para 3,077%, enquanto em Portugal avançam para 2,196%.

 

Relacionadas

Itália assusta investidores. ‘Yield’ de Portugal a 10 anos toca 2,5%

As preocupações dos investidores esta terça-feira prendem-se com a solução governativa em Itália e a moção de censura ao Governo espanhol. No mercado secundário, os juros de Espanha, Itália, Portugal e Grécia disparam, enquanto Alemanha e EUA beneficiam.

Volume nas bolsas europeias sobe a pique com castigo vindo de Itália

A instabilidade política em Itália é o tema central da sessão. O PSI 20 cai 2,23% com todas as cotadas no ‘vermelho’. Na Europa, não há bolsas em terreno positivo.

PSOE vai apresentar moção de censura contra Rajoy

“É hora de todos assumirem responsabilidades”, afirmam fontes do PSOE.
Recomendadas

PSI 20 acompanha Europa em alta. Títulos do Grupo EDP impulsionam praça nacional

O principal índice bolsista português soma 0,46%, para 4.855,54 pontos.

Abrandamento da economia poderá ser entrave para Moody’s igualar as pares na avaliação de Portugal

A Moody’s tem agendada uma avaliação à notação da dívida soberana portuguesa esta sexta-feira. A agência poderá querer alinhar-se com a S&P e a Fitch através de uma subida de um grau para ‘Baa2’, mas as incertezas que estão a esfriar o crescimento da economia global poderão ser motivo para manter o ‘status quo’.

Acalmia cambial trouxe bons resultados em Wall Street

O índice tecnológico S&P, .SPL.RCT, que inclui empresas que têm uma maior exposição ao mercado chinês e estiveram no centro das vendas registadas na segunda-feira, foi aquele que mais valorizou nesta sessão, com um crescimento de 1,61%.
Comentários