Pedrógão Grande: Livro sobre o concelho é dedicado às vítimas do incêndio de 2017

Um livro de divulgação dos valores culturais e naturais de Pedrógão Grande, que os autores dedicam às vítimas do incêndio de 17 de junho de 2017, é apresentado nesta vila do distrito de Leiria na terça-feira.

Trata-se de um contributo para as pessoas conhecerem melhor o concelho “naquilo que ele tem de melhor, a sua história, a água das albufeiras do Cabril e Bouçã e a natureza”, disse hoje à agência Lusa Aires Barata Henriques, que produziu “Pedrógão Grande e o Cabril, de encantos mil” em coautoria com Nuno Soares.

Editada pela Câmara Municipal, presidida por Valdemar Alves, a obra é também uma homenagem “a todos quantos lutam pela defesa da floresta e amam a natureza”, bem como “aos que apostam no renascimento do Vale do Zêzere”, devastado pelos fogos e por décadas de êxodo das populações rurais.

Através deste livro, numa edição de 500 exemplares, e de “Pedrógão Pequeno, Jóia do Cabril”, de Aires Henriques e Ema Cruz, editado em 2013, “melhor se revela a beleza e imponência de todo o Vale do Zêzere, a oriente da Serra da Lousã, por onde um dia – que antecedeu o nascimento de Portugal – deambularam heróis reais e se suscitaram as mais fantásticas lendas”.

“Importa-nos sobretudo este livro como firme alicerce de sustentação do património histórico e cultural de Pedrógão Grande, bem como sã achega para uma política de desenvolvimento, progresso e bem-estar local”, escreve Aires Henriques na contracapa.

Na sua opinião, este trabalho monográfico deve servir, designadamente, para apoiar a candidatura de Pedrógão à Rede de Castelos e Muralhas do Mondego, enquanto “linha de defesa sul do Condado Portucalense”, da qual o concelho passou a fazer parte em 1135.

Com 370 páginas, o livro pode ainda reforçar o “trabalho da Agência para o Desenvolvimento da Serra da Lousã e dos sete concelhos que a integram”, e o “enquadramento da Rota da Princesa Peralta que, partindo de Conímbriga (Condeixa), acaba em Pedrógão e no Cabril”, entre outras propostas.

“Este trabalho é fruto que nasce da semente que é a História, que devemos aproveitar para nos conhecermos melhor enquanto pedroguenses e, assim, penetrarmos nas nossas raízes e no nosso passado, pois tornamo-nos melhores quando sabemos donde viemos”, afirma o autarca Valdemar Alves, num texto inserido na publicação.

Nuno Soares, por sua vez, salientou à Lusa que “uma obra desta envergadura”, mais dirigida à promoção turística do município, “não existe desde os anos 80” do século XX.

Com “Pedrógão Grande e o Cabril, de encantos mil”, disse, os autores pretendem “colmatar esta lacuna”, tendo recolhido e investigado “tudo o que consideram importante para o concelho”, no norte do distrito de Leiria, onde há um ano deflagrou o incêndio florestal em que morreram 66 pessoas e mais de 200 ficaram feridas.

O livro é apresentado pelo historiador Saul António Gomes, professor da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, no salão nobre dos Paços do Concelho de Pedrógão Grande, na terça-feira, feriado municipal, às 17:00.

Ler mais
Recomendadas

Vistos gold: Investimento captado mais do que triplicou em julho para 98,2 milhões de euros

O investimento captado através dos vistos ‘gold’ mais do que triplicou (aumentou 276%) em julho, face ao período homólogo de 2018, para 98,2 milhões de euros, segundo contas feitas pela Lusa com base nos dados estatísticos do SEF.

Número de viciados em jogo online aumentou mais de 8% em Portugal

No espaço de seis meses, 38.600 pessoas pediram para ser impedidas de jogar online, mais 3.200 pessoas face a 2018, uma subida de 8,3%.

Avião de carga aterrou de emergência no aeroporto do Porto  

Um avião de carga com dois tripulantes fez hoje uma “aterragem de emergência” em segurança no aeroporto do Porto devido a um “problema no motor”, disse à Lusa fonte da Proteção Civil.
Comentários