Perdas na energia pressionam PSI 20 para terreno negativo

Os investidores mostram-se reticentes no dia em que os líderes europeus se voltam a reunirem Bruxelas para discutir o futuro da União Europeia pós-Brexit e Fed revela os resultados da primeira parte dos testes de stress anuais à banca norte-americana.

Daniel Munoz/Reuters

O principal índice português abriu a sessão desta quinta-feira a negociar pela terceira sessão consecutiva no vermelho, pressionado pelas perdas do setor das energéticas. O PSI 20 segue a cair 0,35% para os 5.253,27 pontos, em linha com as quedas registadas nos mercados europeus.

A Galp Energia é a cotada com maiores perdas, a desvalorizar 1,33% para os 13,010 euros. Ainda no setor da energia, a EDP cai 0,40% para 3,018 euros e a REN resvala 0,27% para os 2,904 euros.

Também o setor do retalho abriu em queda, com a Sonae a perder 0,11% para 0,942  euros e a concorrente Jerónimo Martins a tombar 0,23% para os 17,725 euros. A seguir a tendência negativa está também a NOS (-0,40%), os CTT (-0,14%) e a BCP (-0,34%).

Em contraciclo, as ações da Novabase sobem 1,25% para 3,250 euros, a Ibersol valoriza 1,90% para os 15,045 euros e a Sonae Capital que ganha 0,22% para os 0,922 euros.

Na Europa, as congéneres europeias negoceiam também com perdas. O DAX, principal índice alemão, cai 0,33%, o CAC francês perde 0,58%, o espanhol IBEX desvaloriza 0,74% e a praça britânica FTSE 100 negoceia com perdas de 0,54%.

Os investidores mostram-se reticentes no dia em que os líderes europeus se voltam a reunir em Bruxelas para discutir o futuro da União Europeia, depois de o Reino Unido ter manifestado formalmente a intenção de abandonar o bloco europeu. A reunião acontece um dia depois da leitura do discurso da rainha Isabel II sobre o programa de Governo a seguir pela primeira-ministra, Theresa May.

Esta quinta-feira, a Sistema de Reserva Federal norte-americana (Fed) revela os resultados da primeira parte dos testes de stress anuais à robustez financeira das maiores instituições financeiras a operar nos Estados Unidos.

No mercado petrolífero, o Brent perde 0,18% para os 44,74 dólares por barril e o crude cai 0,12% para os 42,48 dólares, numa altura em que o “ouro negro” negoceia em mínimos de sete meses e as reservas norte-americanas de petróleo caíram para 509,1 milhões (menos 2,5 milhões de barris do que na semana passada).

No mercado cambial, o euro desvaloriza 0,01% para 1,11 dólares e a libra regista perdas de 0,05% para 1,26 dólares.

Ler mais

Recomendadas

PSI 20 acompanha Europa em alta. Títulos do Grupo EDP impulsionam praça nacional

O principal índice bolsista português soma 0,46%, para 4.855,54 pontos.

Abrandamento da economia poderá ser entrave para Moody’s igualar as pares na avaliação de Portugal

A Moody’s tem agendada uma avaliação à notação da dívida soberana portuguesa esta sexta-feira. A agência poderá querer alinhar-se com a S&P e a Fitch através de uma subida de um grau para ‘Baa2’, mas as incertezas que estão a esfriar o crescimento da economia global poderão ser motivo para manter o ‘status quo’.

Acalmia cambial trouxe bons resultados em Wall Street

O índice tecnológico S&P, .SPL.RCT, que inclui empresas que têm uma maior exposição ao mercado chinês e estiveram no centro das vendas registadas na segunda-feira, foi aquele que mais valorizou nesta sessão, com um crescimento de 1,61%.
Comentários