PJ investiga curso em Columbia lecionado por Manuel Pinho

Curso na Universidade de Columbia nos Estados Unidos foi alegadamente pago pela EDP. Manuel Pinho decidiu o prolongamento da concessão de barragens à EDP em 2007, durante o governo de José Sócrates.

Relacionadas

PGR confirma António Mexia e João Manso Neto como arguidos

No âmbito das buscas efetuadas aos escritórios da EDP esta manhã, o presidente-executivo da EDP, António Mexia, e o presidente da EDP Renováveis, João Manso Neto, foram indiciados pelos crimes de corrupção ativa e passiva pelo DCIAP.

Gabinetes de António Mexia e Rodrigo Costa alvo de buscas da PJ

O Jornal Económico apurou que as buscas estão relacionadas com suspeita de crime de corrupção activa e passiva e participação económica. Já foram constituídos vários arguidos na investigação que decorre desde 2012 e teve início numa denúncia anónima, numa altura em que corria a privatização da EDP.

REN e EDP confirmam buscas da PJ

O Jornal Económico apurou junto de fonte oficial que tanto a REN como a EDP estão a colaborar com as autoridades.

PJ faz buscas nos escritórios da REN, EDP e de uma corretora

Investigação visa os setores financeiros, contabilidade, informática e gabinetes de administradores e presidentes do conselho de administração, avança a SIC Notícias.
Recomendadas

Justiça arquiva investigação à Yupido, a startup portuguesa com capital social de 29 mil milhões

Yupido captou a atenção da comunicação social em setembro de 2017, após o economista Carlos Pinto ter divulgado nas redes sociais o capital social desta startup tecnológica. Até ao dia de hoje, a Yupido nada produziu, nem regista atividade pública. O revisor oficial de contas que avaliou o capital da empresa foi suspenso dois anos.

Estado não cumpre pagamentos de indemnizações por falta de dotação orçamental

Estado devia ter pago 18 milhões de euros em indemnizações mas só pagou pouco mais de sete mil euros, no final de 2018, por decisões na Justiça. Relatório revelou que dotação orçamental é insuficiente para cumprir com os pagamentos das indemnizações.

Tribunais afastaram 64 políticos e gestores em oito anos

Em 2012 e 2013 verificou-se o maior número de perdas de mandato (seis) e destituições (cinco), escreve o JN.
Comentários