Pólenes muito elevados em quase todo o país nos próximos dias

Entre hoje e 12 de julho em Lisboa e Setúbal os pólenes vão estar com níveis muito elevados, com predomínio dos pólenes das ervas gramíneas, da erva parietária e da árvore castanheiro, o mesmo acontecendo em Coimbra (região da beira Litoral), em Vila Real (região de Trás-os-Montes e Alto Douro) e no Porto (região de Entre Douro e Minho).

David W Cerny / Reuters

As concentrações de pólenes no ar vão estar muito elevadas em quase todas as regiões de Portugal continental nos próximos sete dias, segundo o Boletim Polínico da Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica (SPAIC).

De acordo com o boletim, entre hoje e 12 de julho em Lisboa e Setúbal os pólenes vão estar com níveis muito elevados, com predomínio dos pólenes das ervas gramíneas, da erva parietária e da árvore castanheiro, o mesmo acontecendo em Coimbra (região da beira Litoral), em Vila Real (região de Trás-os-Montes e Alto Douro) e no Porto (região de Entre Douro e Minho).

Em Portimão (região do Algarve) e em Castelo Branco (região da Beira Interior) os pólenes encontram-se em níveis elevados, predominando o pólen das ervas gramíneas, seguido pelo pólen da árvore castanheiro.

Também em Évora (região do Alentejo), os pólenes encontram-se em níveis elevados na atmosfera, com destaque do pólen das ervas gramíneas.

No que diz respeito a Ponta Delgada (Região Autónoma dos Açores), os pólenes encontram-se em níveis moderados, com predomínio dos pólenes das ervas gramíneas, parietária e tanchagem e das árvores palmeiras.

Ao contrário das regiões do continente, os pólenes estarão em níveis baixos na Madeira, destacando-se as ervas gramíneas e parietária. O Boletim Polínico efetua a divulgação semanal dos níveis de pólenes existentes no ar atmosférico recolhidos através da leitura de postos em várias regiões do país.

Ler mais
Recomendadas

Governo disponibiliza 600 mil euros para apoiar agricultores de Mação, Vila de Rei e Sertã

Esta decisão decorre da publicação, hoje, em Diário da República, de um despacho que reconhece este incêndio como “catástrofe natural”.

Fundo Ambiental vai aplicar um milhão de euros na adaptação às alterações climáticas

Proteção ao litoral, na recuperação de solos e na reabilitação da rede hidrográfica são algumas das áreas em que o Fundo Ambiental poderá conceder apoio financeiro.

Parlamento recomenda ao Governo declaração do estado de urgência climática

Foi publicada nesta segunda-feira, 29 de julho, a resolução da Assembleia da República que recomenda ao Executivo de António Costa que assuma o compromisso de promover a máxima proteção de pessoas, economias, espécies e ecossistemas, e de restaurar condições de segurança e justiça climáticas.
Comentários