Politécnico de Bragança impulsiona Laboratório de Artes na Montanha-Graça Morais

O laboratório está aberto a atividades de ensino e investigação prática na área das artes visuais e conta com o apoio da pintora.

A pintora Graça Morais apoia a criação e funcionamento do Laboratório de Artes na Montanha, disponibilizando toda a sua obra para ser estudada, inventariada e documentada. O projeto, lançado este sábado, é promovido pelo Instituto Politécnico de Bragança, através do Centro de Investigação de Montanha com o Centro de Arte Contemporânea Graça Morais, e em parceria com o Instituto de História da Arte da NOVA, FCSH. Conta com o apoio da Fundação para a Ciência e Tecnologia.

O laboratório visa promover novas oportunidades para atividades de ensino e investigação baseada na prática na área das artes visuais no contexto de montanha. Surge como estímulo a uma rede transfronteiriça de parcerias entre Portugal e Espanha, na qual se insere a crescente relação entre o nordeste transmontano e a região espanhola de Castilla-Leon.

Segundo explica o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, o centro tem a ambição de promover novas atividades de inovação e a prática de investigação na área das Artes, integrando a experiência e reconhecimento internacional do Centro de Investigação de Montanha, do Instituto Politécnico de Bragança, e facilitando uma nova parceria estruturante com o Município de Bragança através do Centro de Arte Contemporânea Graça Morais.

O projeto será cofinanciado pelo Instituto Politécnico de Bragança e pela Câmara Municipal de Bragança e conta com o apoio da Fundação para a Ciência e Tecnologia.

Recomendadas

Governo abre 85 vagas para estágios profissionais destinadas a jovens até 29 anos

Estas vagas destinam-se aos chamados jovens “nem-nem” (nem estudam, nem trabalham). As candidaturas estão abertas até às 18h00 do dia 30 de setembro.

Oito portugueses entre os vencedores do maior programa universitário de inovação digital da Europa

O European Innovation Academy é o maior programa universitário de aceleração em Inovação Digital da Europa. A terceira edição realizou-se entre os dias 14 de julho e 2 de agosto. Há oito portugueses entre os vencedores, com projetos que vão desde apoio a invisuais e a crianças com doenças crónicas até bicicletas com airbaigs.

Martin Kern: “Uma economia não se mede apenas pelo número de unicórnios”

Em entrevista ao Jornal Económico, o diretor do Instituto Europeu da Inovação e da Tecnologia refere que o aumento orçamental proposto pela Comissão Europeia para os próximos anos pode beneficiar as startups e as atividades de investigação em Portugal.
Comentários