Porto de Lisboa coordena transporte de dois reservatórios para a Central de Cervejas

Com 1.400 litros de volume e 40 toneladas cada um, os reservatórios destinam-se a aumentar a capacidade de produção da fábrica de cerveja de Vialonga da Central de Cervejas.

O porto de Lisboa coordenou o transporte no Tejo de uma carga de grandes dimensões, em particular, dez reservatórios de 40 toneladas cada, que seguiram até Vialonga por via fluvial.

“O porto de Lisboa foi palco esta semana de uma operação de transporte fluvial de carga de grandes dimensões, a partir do Terminal Multiusos do Beato (TMB), na plataforma oriental”, avança um comunicado da APL – Administração do Porto de Lisboa.

Segundo o comunicado, estes “dez reservatórios, de 40 toneladas cada um e colocados sobre um pontão, foram transportados Tejo acima por um rebocador até Póvoa de Santa Iria”.

A APL destaca que esta foi “uma operação logística complexa, que começou dia 29 de julho e termina hoje, 2 de agosto, envolvendo o transporte de dois reservatórios por dia numa viagem fluvial de 17 quilómetros, com cerca de três horas de duração”.

“Os reservatórios chegaram por via marítima e foram descarregados inicialmente no Terminal Multiusos do Beato em meados de julho”, adianta a APL.

“Com 1.400 litros de volume e 40 toneladas cada um, os reservatórios destinam-se a aumentar a capacidade de produção da fábrica de cerveja de Vialonga da Central de Cervejas”, garante o referido comunicado.

Não foi possível obter comentários por parte da Central de Cervejas.

“O transporte por via fluvial vai ao encontro dos princípios defendidos pela Administração do Porto de Lisboa, de implementar uma operação mais sustentável, aproveitando as vantagens do território que compõe a sua área de atuação, e que se traduz num transporte com menos impacto no ecossistema natural e urbano, e na contribuição para o bem-estar da comunidade envolvente”, conclui o referido comunicado.

 

Ler mais
Recomendadas

Makro reforça ligação a empresários de hotelaria e restauração

O objetivo da cadeia grossista é reforçar a relação com os seus clientes, donos de negócios próprios, dando visibilidade a empresários do setor hoteleiro e da restauração a nível nacional, de forma a promover a gastronomia em Portugal.

Produtores nacionais de carne fresca de aves já podem exportar para o Chile

O Ministério da Agricultura considera que este país sul-americano é um importante mercado, com um potencial de 17 milhões de consumidores, que recebe, pela primeira vez, exportações de carne fresca de aves nacionais.

Greve de motoristas: CAP defende “tratamento separado”

“Era preferível que não houvesse greve. Mas se houver greve, queremos que o setor da agricultura tem de ter um tratamento completamente separado”, defendeu há minutos, Eduardo Oliveira e Sousa, presidente da CAP – Confederação dos Agricultores de Portugal, em entrevista à SIC Notícias, sobre a greve dos camionistas de matérias perigosas agendada a partir […]
Comentários