Porto de Peniche garante investimento de 27 milhões

O Ministério da Agricultura e do Mar acaba de garantir a recuperação dos Estaleiros Navais de Peniche através da autorização de entrada de novos acionistas que se propõem investir, até 2018, mais de 14 milhões de euros que podem garantir cerca de 300 empregos. O Secretário de Estado do Mar, Manuel Pinto de Abreu afirma […]


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/staging.jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 876

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/staging.jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 876

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/staging.jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 876

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/staging.jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 876

O Ministério da Agricultura e do Mar acaba de garantir a recuperação dos Estaleiros Navais de Peniche através da autorização de entrada de novos acionistas que se propõem investir, até 2018, mais de 14 milhões de euros que podem garantir cerca de 300 empregos.

O Secretário de Estado do Mar, Manuel Pinto de Abreu afirma que “a nova solução permite manter a actividade de construção e estaleiros navais como finalidade essencial do projecto, designadamente na satisfação das solicitações da indústria pesqueira local, como obrigação do serviço publico concessionado e vem solucionar a solução de uma empresa que se confrontou, nos últimos meses, com graves dificuldades financeiras”.

Deste modo os Estaleiros Navais de Peniche vão ser objecto de um projecto de requalificação, reestruturação e revitalização, permitindo a regularização dos encargos junto do Estado, Segurança Social e Fazenda Publica, bem como já foi negociado um plano de de pagamentos com as entidades bancárias e fornecedores.

“Trata-se de um projeto que se integra plenamente na Estratégia Nacional para o Mar e que constitui um sinal da determinação do Governo em valorizar os investimentos estratégicos para o desenvolvimento de uma economia do Mar em Portugal”, afirma Manuel Pinto de Abreu.

Por outro lado, acrescenta o Secretário de Estado do Mar, temos grandes infraestruturas nalguns portos de pesca estratégicos e estamos a trabalhar na sua dinamização, na medida em que podem optimizar a logistica das empresas e potenciar a sua competitividade por essa vida”

“No próximo Quadro Comunitário de Apoio, estamos a equacionar uma diferenciação positiva para as empresas que instalem as suas empresas nesses portos e, por essa via, dinamizem a economia do Mar tal como a concebemos na Estratégia Nacional para o Mar.

O acordo envolveu a Docapesca, entidade detentora do Porto de Peniche, onde estão situados os estaleiros e vem viabilizar uma empresa em situação difícil, através da renegociação do seu passivo com um montante estimado em 15 milhões de euros.

A requalificação, rentabilização e reequipamento da área afecta à concessão do serviço público implicará um investimento previsional superior a 14 milhões de euros na área da concessão, a desenvolver ao longo dos próximos anos, além de todas as actividades complementares e conexas que, no contexto do contrato de concessão, se pretendem desenvolver, ligadas à construção modular e a novas actividades decorrentes da exploração do mar.

O Porto de Peniche assiste, atualmente, a uma requalificação profunda que visa a instalação de várias novas empresas. Nos próximos meses, devem ser instaladas nos terrenos do Porto 4 novas unidades industriais, incluindo 2 fábricas de conservas e uma unidade de transformação de peixe que significam investimentos da ordem dos 13,3 milhões de euros e e a criação de cerca de 100 novos postos de trabalho.

Ler mais
Recomendadas

Como a Indústria 4.0 pode ajudar a criar a fábrica do futuro

A fábrica do futuro é o centro de uma cadeia de distribuição que combina clientes, fornecedores, distribuidores e parceiros com sistemas analíticos avançados. Isso pode levar a uma “produção perfeita” com o mínimo de tempo de inatividade, negligência, desperdício e ineficiência.

Sustentabilidade no investimento: menos risco, mais valor

Reduzir a quantidade de plásticos descartáveis ou viajar de comboio são duas formas de reduzir a nossa pegada ecológica. E no investimento, o que podemos fazer para reforçar a sustentabilidade?