Portugal: Imprensa internacional rendida à “ressureição” do país que “ignorou” Berlim

“Acabar com a austeridade foi fundamental para aumentar a confiança dos portugueses e da economia” disse António Costa numa entrevista ao jornal alemão ‘Handelsblatt’.

A economia de Portugal regista 13 trimestres consecutivos a provar um crescimento positivo. A taxa de desemprego ficou abaixo dos 10% pela primeira vez, desde o primeiro trimestre de 2009 e o défice público representa 2,1% do PIB. O nosso país é destaque no El Economista que destaca a “ressureição” de Portugal.

O primeiro-ministro, António Costa, diz-se orgulhoso dos resultados do país, mesmo sem atender às recomendações de Berlim, disse numa entrevista ao jornal alemão Handelsblatt, citado pelo El Economista.

Os mercados estão cientes desta melhoria. “Portugal tornou-se na estrela dos mercados”, escreve o The Wall Street Journal.

Costa sublinha que “o desemprego está numa tendência descendente e em 2016 reduzimos o défice em 2%. Este valor está bem abaixo dos 3% exigidos pela União Europeia e é o menor desequilíbrio de Portugal em 42 anos, mas ainda vamos conseguir reduzir mais o défice este ano. ”

“Acabar com a austeridade foi fundamental para aumentar a confiança dos portugueses e da economia”, reforça Costa. “O investimento privado cresceu mais de 7% no ano passado e está a crescer ainda mais agora. A confiança é a chave a economia e isso é o que temos dado ao português”, disse o primeiro-ministro ao Handelsblatt.

Um dos fatores a ter em conta para a melhoria da economia portuguesa é o aumento do interesse no país por parte de estrangeiros. Por um lado, o turismo aumentou consideravelmente e representa 6,4% do PIB em 2017, em comparação com 4,6% em 2011. Uma das explicações para o aumento do turismo em Portugal foi o aumento de ataques terroristas em países do norte de África, Turquia e França.

 

Ler mais

Relacionadas

Centeno: “Europa aplicou uma receita errada, parcial e incompleta”

Ministro das Finanças critica receita de austeridade de Bruxelas e desconfiança das instituições financeiras sobre a capacidade do Governo executar o programa, em entrevista ao jornal El País. Rigor nas contas públicas é para manter.
Recomendadas

PSI 20 acompanha Europa em alta. Títulos do Grupo EDP impulsionam praça nacional

O principal índice bolsista português soma 0,46%, para 4.855,54 pontos.

Abrandamento da economia poderá ser entrave para Moody’s igualar as pares na avaliação de Portugal

A Moody’s tem agendada uma avaliação à notação da dívida soberana portuguesa esta sexta-feira. A agência poderá querer alinhar-se com a S&P e a Fitch através de uma subida de um grau para ‘Baa2’, mas as incertezas que estão a esfriar o crescimento da economia global poderão ser motivo para manter o ‘status quo’.

Acalmia cambial trouxe bons resultados em Wall Street

O índice tecnológico S&P, .SPL.RCT, que inclui empresas que têm uma maior exposição ao mercado chinês e estiveram no centro das vendas registadas na segunda-feira, foi aquele que mais valorizou nesta sessão, com um crescimento de 1,61%.
Comentários