Portugal integra grupo de países descontentes com fundos da PAC

Além de Portugal, os outros países da UE- União Europeia insatisfeitos com as verbas previstas para a PAC no período em causa são a França, Espanha, Irlanda e Finlândia.

Portugal integra um grupo de cinco países que estão descontentes com a proposta da Comissão Europeia para os fundos que vão ser distribuídos no próximo Quadro Comunitário de Apoio, entre 2021 e 2027, no âmbito da PAC – Política Agrícola Comum.

Além de Portugal, os outros países da UE- União Europeia insatisfeitos com as verbas previstas para a PAC no período em causa são a França, Espanha, Irlanda e Finlândia.

Esta quinta-feira, dia 31 de maio, o ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Luís Capoulas Santos, participa num encontro de trabalho que reunirá os ministros da Agricultura desses outros quatro países, “com o objetivo de discutir a Reforma da Política Agrícola Comum”, de acrodo com um comunicado do Ministério da Agricultura.

“Este encontro foi marcado na sequência de conversações anteriores entre Portugal, Espanha e França, no sentido de estabelecer uma posição de defesa de uma PAC ambiciosa e dotada dos meios financeiros adequados, e também de melhorar a proposta da Comissão Europeia, considerada insuficiente por estes países”, destaca o referido comunicado.

O encontro dos ministros da Agricultura destes cinco países da UE, marcados para 14 horas, terá lugar nas instalações do Ministério da Agricultura de Espanha, estando prevista uma conferência de imprensa conjunta para as 16h30m.

Recomendadas

Governo disponibiliza 600 mil euros para apoiar agricultores de Mação, Vila de Rei e Sertã

Esta decisão decorre da publicação, hoje, em Diário da República, de um despacho que reconhece este incêndio como “catástrofe natural”.

Governo abre concurso para contratar mais 200 sapadores florestais

A constituição destas novas 40 equipas envolve um montante de 2,6 milhões de euros, financiado pelo Fundo Florestal Permanente (FFP).

Indústria do tomate estima prejuízo diário de 4 milhões de euros com greve dos motoristas

Tendo em conta que a apanha do tomate decorre entre agosto e setembro e que este é um fruto de curta duração, os produtores estão “muito alarmados com a situação”, referiu o presidente da Associação dos Industriais de Tomate.
Comentários