Prémios para riscos cibernéticos registarão o maior aumento de sempre até 2021

Mercado global de seguros corporativos representa 730 mil milhões de dólares e, segundo a Aon, subirá a uma taxa anual de 5,3% até 2021.

Os prémios associados a seguros para riscos cibernéticos vão registar o maior crescimento até 2021, de acordo com as projeções divulgadas hoje, 17 de julho, pela Aon, especialista em soluções de risco, reforma e saúde. As estimativas apontam ainda para que os setores financeiro, extração mineira, tecnologia e media se desenvolvam mais rapidamente do que os demais setores.

Nos últimos cinco anos, os prémios de seguro para riscos cibernéticos foram os que registaram o crescimento mais significativo, de 23% anual, e até 2021 a Aon estima que representem 4 mil milhões de dólares a nível mundial, uma taxa de crescimento média anual de 14,1%.

Sobre estas previsões para os prémios dos seguros cibernéticos, Andreia Teixeira, responsável pela área de cibersegurança da Aon em Portugal, explica que se trata de um aumento resultante “não só da maior procura por parte das empresas, como também do incremento gradual de incidentes informáticos, o que tem impacto na sinistralidade e, consequentemente, nas regras de subscrição e aumentos tarifários” Assim, olhando para o futuro, defende que ocorrerá “uma inevitável mudança cultural nas empresas, que valorizam, cada vez mais, os ativos intangíveis, como o ciberespaço e a propriedade intelectual”.

De entre os principais números compilados pelos relatórios da Aon, destacam-se ainda os prémios globais dos seguros de danos e responsabilidades que geram aproximadamente 730 mil milhões de dólares em 2017 e, em 2021, deverão atingir quase 900 mil milhões. Sendo que, deste valor, só nos EUA foram gerados 274,5 mil milhões de dólares em 2017 e as estimativas apontam para que subam para 331,5 mil milhões de dólares em 2021.

Por outro lado, entre as maiores categorias de ramos de seguro, os prémios globais dos seguros de automóveis cresceram mais rapidamente entre 2013 e 2017, atingindo 192 mil milhões de dólares em 2017, enquanto os de acidentes de trabalho cifraram-se nos 83 mil milhões dólares devido principalmente ao seu forte impacto nos EUA, tendo aumentado 71 mil milhões desde 2013.

Em termos sectoriais, em 2017, a indústria, produção e manufatura gerou o valor mais elevado de prémios de seguro, para o segmento corporativo, em todo o mundo, avaliado em aproximadamente 111 mil milhões de dólares.

A agricultura, pescas e florestas somaram 72 mil milhões de dólares, impulsionados pelo enorme valor destas indústrias na China e nos EUA.

“Apesar do setor da manufatura continuar forte, é expetável que os prémios aplicáveis às instituições financeiras, extração mineira e empresas de tecnologia e media desenvolvam mais rapidamente até 2021, com uma taxa de crescimento anual de cerca de 6% em cada um dos casos”, acrescenta ainda a Aon, no seu estudo.

Ler mais
Recomendadas

Inovação e empreendedorismo

Há que aplicar as novas tecnologias à cadeia de valor de uma empresa para que esta possa fornecer a melhor resposta ao cliente, conhecendo e focando-se nas necessidades que este tem. Neste ponto as startups representam uma mais-valia.

CGD avalia ações contra gestores que aprovaram crédito a Vale do Lobo

Advogados da CGD estão a avaliar ações cíveis contra gestores da administração de Santos Ferreira que deram ‘luz verde’ a operação Vale do Lobo. Parecer é entregue após o verão para decisão final.

JP Morgan bem posicionado para liderar entrada em bolsa da WeWork

Dona da WeWork vai emitir obrigações até seis mil milhões de dólares e fontes próximas da empresa revelaram que a instituição financeira que montar esta operação poderá ter papel ativo na entrada em bolsa da WeWork.
Comentários