Produtos alimentares são as estrelas nas exportações

O secretário de Estado da Agricultura afirmou que as exportações do setor alimentar aumentaram 7% nos últimos cinco anos e que continuam a crescer acima do conjunto da economia, com um avanço de 3,3% no último trimestre. José Diogo Albuquerque, que falava na sessão de abertura do V Congresso da Federação da Indústria Portuguesa Agroalimentar […]

O secretário de Estado da Agricultura afirmou que as exportações do setor alimentar aumentaram 7% nos últimos cinco anos e que continuam a crescer acima do conjunto da economia, com um avanço de 3,3% no último trimestre.

José Diogo Albuquerque, que falava na sessão de abertura do V Congresso da Federação da Indústria Portuguesa Agroalimentar (FIPA), congratulou-se com o desempenho do setor agroalimentar, destacando que as exportações aumentaram 3,3% no último trimestre, enquanto no total de todos os setores da economia cresceram 2,4%.

O secretário de Estado destacou que se este caminho prosseguir, Portugal vai conseguir continuar a diminuir o défice da balança comercial, no sentido de chegar à autossuficiência em valor em 2020, um objetivo do Governo.

“O défice da balança comercial diminuiu 400 milhões de euros neste trimestre”, adiantou.

José Diogo Albuquerque reafirmou que as candidaturas para ao investimento nas explorações agrícolas vão ser abertas a 15 de novembro, sublinhando que Portugal deve ser o único país da União Europeia que está a abrir medidas antes da aprovação formal do programa para não ter o investimento parado.

“Não nos podemos dar ao luxo de ficar à espera de processos de aprovações”, justificou.

Antes da intervenção do secretário de Estado, os empresários mostraram-se preocupados com o impacto do Orçamento do Estado para 2015, nomeadamente em termos de fiscalidade.

O presidente da FIPA, Jorge Henriques alertou para os riscos de deflação, dificuldade de aceder ao financiamento e agravamento dos impostos, que põem em causa a competitividade das empresas.

 

OJE/Lusa

Ler mais
Recomendadas

Como a Indústria 4.0 pode ajudar a criar a fábrica do futuro

A fábrica do futuro é o centro de uma cadeia de distribuição que combina clientes, fornecedores, distribuidores e parceiros com sistemas analíticos avançados. Isso pode levar a uma “produção perfeita” com o mínimo de tempo de inatividade, negligência, desperdício e ineficiência.

Sustentabilidade no investimento: menos risco, mais valor

Reduzir a quantidade de plásticos descartáveis ou viajar de comboio são duas formas de reduzir a nossa pegada ecológica. E no investimento, o que podemos fazer para reforçar a sustentabilidade?