Projetos de energia geotérmica vão ter financiamento de 2,1 milhões de euros

A secretaria de Estado da Energia vai abrir três linhas de financiamento que vão servir para financiar investimentos que potenciem e valorizem a utilização dos recursos geotérmicos.

O Governo aprovou três linhas de financiamento, avaliadas em 2,1 milhões de euros, que vão servir para dar apoio financeiro a projectos para energia geotérmica, anunciou a secretaria de Estado da Energia.

O maior empréstimo tem o valor total de 1,7 milhões de euros e destina-se a “financiar investimentos que potenciem e valorizem a utilização dos recursos geotérmicos”, nomeadamente projetos de “desenvolvimento e expansão da rede de distribuição de calor” ou “ligação de novos utilizadores à rede de distribuição de calor”.

O executivo considera que entre os eventuais interessados em usarem a energia geotérmica para fins térmicos e para geração de eletricidade estão termas ou municípios e setores de turismo, indústria, agricultura e aquacultura.

Já as outras linhas de financiamento, segundo o Governo, visam financiar estudos técnicos ou científicos “para o país ficar a conhecer melhor os seus recursos geotérmicos”.

Em causa estão 300 mil euros “para avaliar o potencial de exploração dos recursos hidrotermais e geotérmicos acima dos 25 graus centígrados” e mais 100 mil euros para “elaboração de cartografia geotérmica para integração e atualização do Atlas Geotérmico Nacional”.

Estas linhas serão operacionalizadas através do Fundo de Apoio à Inovação (FAI).

Ler mais
Recomendadas

Combustíveis: Regulador vai fiscalizar aumentos durante a greve de motoristas

A ENSE considera que uma vez decretada a crise energética devido à greve dos camionistas de matérias perigosas, tal implica a implementação de condições excecionais para abastecimento dos postos de combustível em território nacional.

Efacec reforça presença na Tunísia com obras em 25 subestações elétricas

Este conjunto de subestações integra a Rede de Transporte de Energia Elétrica Tunisina e resulta no âmbito do contrato assinado com a STEG – Société Tunisienne de l’Electricité et du Gaz.

Preço do petróleo terá de baixar para competir com tecnologias do futuro

“A nossa análise leva a uma conclusão muito dura para a indústria do petróleo. Para o mesmo desembolso de capital hoje, a energia eólica e solar produzirão energia mais útil para os veículos elétricos do que o petróleo comprado no mercado”, sublinhou Mark Lewis, chefe do gabinete de investigação sustentável do BNP Paribas.
Comentários