Proteção Civil tem reservas de combustível para “mais de dois meses”

Apesar de garantir que existem reservas para mais de dois meses, Eduardo Cabrita sublinha que as prioridades têm de ser asseguradas quando se fala numa dificuldade de distribuição.

Cristina Bernardo

Na conferência de imprensa da Proteção Civil em que fez o balanço sobre os incêndios que assolaram Portugal, Eduardo Cabrita, ministro da Administração Interna ainda teve tempo para mencionar a sua perspetiva sobre a greve dos motoristas de matérias perigosas.

Por enquanto, o ministro responsável pela Administração Interna não mostra estar preocupado com a greve dos motoristas que tem preocupado o Governo, pois “temos reservas de combustível acumuladas para mais de dois meses”. Eduardo Cabrita sublinha assim que “não há problemas de reserva de combustível”, no que toca a “necessidades prioritárias”.

Ainda assim, “o que temos de garantir é que numa circunstância de dificuldade de distribuição, as prioridades são asseguradas”, referindo-se aos incêndios e à resposta das unidades de emergência.

O responsável do Ministério da Administração Interna sublinhou que os responsáveis da Proteção Civil vão estudar esta tarde a resposta ao impacto que a greve poderá ter no panorama. “A Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil é a responsável pela coordenação do planeamento civil de emergências”, relembrou Eduardo Cabrita.

“Precisamente, está a decorrer neste momento uma reunião de todas as entidades na frente de planeamento”, destacou, “para preparar aquilo que possa ser necessário acautelar relativamente à salvaguarda de abastecimento e de funcionamento da rede de emergência, relativamente à resposta a necessidades prioritárias.”

Recomendadas

Especialistas defendem aprovação da requisição civil pelo Governo antes da greve dos motoristas

Por o setor dos combustíveis ser transversal a muitos setores económicos, especialista em legislação laboral defendem que o Governo pode avançar para a requisição civil antes da greve, tal como aconteceu na TAP em 2014.

Como sobreviver à greve dos motoristas de combustível? Siga estas 5 dicas

Consulte o manual de sobrevivência elaborado pela Deco para a greve dos motoristas dos combustíveis.

Greve dos camionistas: AIP apela aos “bens superiores” da Constituição para travar a paralisação

A associação presidida por José Eduardo Carvalho alerta o Governo para que os serviços mínimos para minorar os efeitos desta paralisação abranjam as indústrias transformadoras que fiquem condicionadas pela falta de abastecimento de combustíveis como o gás natural, gás propano liquefeito (GPL), azoto líquido e oxigénio.
Comentários