PS assinala aniversário com homenagem a 45 figuras da sua história

O PS inicia a partir de segunda-feira as comemorações do seu 45.º aniversário, com um programa em que assinala a ação de 45 figuras da sua história, começando com o fundador e primeiro secretário-geral, Mário Soares.

Após Mário Soares, na evocação dos 45 rostos do PS, seguem-se os fundadores Maria de Jesus Barroso e Salgado Zenha, o primeiro presidente da Assembleia da República, Vasco da Gama Fernandes, e o presidente da Assembleia Constituinte, Henrique de Barros.

Segundo uma nota da direção dos socialistas, ao longo dos próximos 45 dias, o PS assinala também 45 marcas que considera ter deixado no percurso democrático do país desde que foi fundado em 19 de abril de 1973, na cidade alemã de Bad Munstereifel.

Como primeira das 45 marcas a assinalar, o PS escolheu a aprovação da Constituição da República em abril de 1976 – um ano após ter vencido as primeiras eleições realizadas depois da revolução de 25 de Abril de 1974.

Além da aprovação da Constituição da República, o PS pretende também destacar os momentos da criação do Serviço Nacional de Saúde, a revisão da Concordata em 1975 (que permitiu o divórcio em Portugal), o fim da unicidade sindical em 1977 e, nesse mesmo ano, o pedido de adesão de Portugal à então CEE (Comunidade Económica Europeia) feito pelo antigo primeiro-ministro Mário Soares.

As mensagens sobre os 45 rostos e 45 marcas da história do PS serão divulgadas por este partido nas diferentes redes sociais (Facebook, Instagram, Twitter).

Ainda de acordo com a nota divulgada pela direção dos socialistas, no dia do aniversário do PS, em 19 de abril, vai realizar-se em Lisboa um jantar-comício com a presença do secretário-geral, António Costa.

Ler mais
Recomendadas

Marcelo aprova aumentos de 700 euros para juízes, mas critica fosso salarial face aos polícias e militares

Marcelo Rebelo de Sousa destaca que os juízes, e membros de autoridades reguladoras e de supervisão a entidades públicas empresariais e empresas públicas, passando por outras entidades administrativas, já estão com salários mais elevados do que o primeiro-ministro. O Presidente exige que a desigualdade salarial seja “encarada na próxima legislatura”.

Incêndios florestais caíram 26% este ano face a 2018

“Estamos, até hoje, com 6.800 incêndios desde o início do ano, o que significa que temos um número de incêndios 36% inferior à média dos últimos dez anos. E uma área ardida 42% inferior à média dos últimos dez anos”, sublinhou Eduardo Cabrita.

Proteção Civil tem reservas de combustível para “mais de dois meses”

Apesar de garantir que existem reservas para mais de dois meses, Eduardo Cabrita sublinha que as prioridades têm de ser asseguradas quando se fala numa dificuldade de distribuição.
Comentários