PS critica falta de solidariedade do Governo Regional para com autarquias depois das intempéries

O líder parlamentar do PS Madeira afirma que as autarquias tiveram que avançar com dinheiro para obras derivadas das intempéries de fevereiro e março e que até ao momento o Governo Regional não cumpriu com a sua promessa de prestar auxílio aos municípios afetados.

O PS criticou a falta de solidariedade demonstrada pelo Governo Regional no apoio prestado para com as autarquias na altura de prestar apoio às intempéries, durante uma iniciativa das jornadas parlamentares dos socialistas madeirense que envolveu ainda o presidente da Câmara Municipal de Santana, o vice-presidente de Santa Cruz e o diretor financeiro do hotel Quinta do Furão.

“As câmaras municipais tiveram de avançar com dinheiro, porque havia obras inadiáveis que tinham de ser feitas, nomeadamente no litoral, e ficaram a aguardar pela solidariedade prometida por parte do Governo, que até ao momento é zero”, denunciou Victor Freitas, líder parlamentar do PS Madeira, referindo-se às intempéries de fevereiro e março que assolaram vários municípios da Região Autónoma.

O socialista madeirense acusa o executivo de não ter feito um ponto de situação relativamente a este dossier “e às indemnizações às autarquias para fazer face a estes prejuízos”.

“Para quem exige solidariedade da República, e tem tido nos momentos de aflição da Madeira, cá na Madeira não presta solidariedade aos municípios quando têm acontecimentos como os que ocorreram, com prejuízos avultados”, lamentou Victor Freitas.

O vice-presidente do Governo Regional, Pedro Calado, é alvo de críticas por parte de Victor Freitas. Para o socialista é lamentável que o governante “se mantenha no silêncio” sobre este assunto e não dê satisfações aos autarcas, nem aos autarcas nem aos madeirenses.

Victor Freitas referiu ainda que o executivo madeirense tem de “assumir as suas responsabilidades” neste dossier e “honrar a palavra dada”.

Ler mais
Recomendadas

PremiumO Vinho Madeira que passa de geração em geração desde 1850

O maior desafio do Vinho Madeira é aumentar a produção das castas nobres Sercial, Verdelho, Boal, Malvasia e Terrantez, e diminuir a produção da Tinta Negra, “que já é excessiva”, diz Pereira de Oliveira.

PremiumDireito ainda está “fora de questão” mas “poderia reter” estudantes na região

Para já, não está em cima da mesa a criação de uma licenciatura em Direito na UMa, mas o reitor José Carmo diz que o curso tem procura local.

PremiumO valor do patrocínio num evento como o Rali Vinho Madeira

O Rali Vinho Madeira é um evento que ao longo dos anos tem atraído milhares às estradas madeirenses. Mas nem só de público vive esta prova de desporto motorizado. O patrocínio é outras das vertentes que sustenta e ajuda a levar cada edição a bom porto. Entre os patrocinadores estão marcas e empresas como a MEO e o BPI.
Comentários