PS voltou a dar lucro em 2016

Após os prejuízos registados entre 2013 e 2015, o Partido Socialista (PS) obteve resultados líquidos de 255.460,14 euros em 2016. E conseguiu também um aumento de 1785 militantes inscritos.

O PS anunciou hoje resultados líquidos positivos de 255.460,14 euros relativos ao conjunto das estruturas do partido em 2016, pondo fim a um ciclo de contas negativas registadas entre 2013 a 2015, e um aumento de 1785 militantes inscritos.

Estes dados constam de uma nota enviada à comunicação social sobre o Relatório e Contas de 2016 que vai ser apresentado esta tarde na reunião da Comissão Nacional do PS, em Lisboa. O documento informa que “em 2016, o PS atingiu resultados líquidos positivos (+255.460,14 euros), o que põe termo a um ciclo de pesados resultados negativos registados entre 2013 e 2015 (mais de 7 milhões de euros) e permite perspetivar uma melhoria gradual das contas do PS e da sua situação financeira global.”

De acordo com a mesma nota, trata-se de resultados “dignos de registo” e que “foram obtidos sem se ter registado um aumento de receita (rendimentos sem considerar campanhas eleitorais baixaram 236 mil euros), mas à custa de um poderoso esforço de contenção de custos (gastos sem campanhas eleitorais foram reduzidos em 1,432 milhões de euros).”

Recomendadas

Marcelo aprova aumentos de 700 euros para juízes, mas critica fosso salarial face aos polícias e militares

Marcelo Rebelo de Sousa destaca que os juízes, e membros de autoridades reguladoras e de supervisão a entidades públicas empresariais e empresas públicas, passando por outras entidades administrativas, já estão com salários mais elevados do que o primeiro-ministro. O Presidente exige que a desigualdade salarial seja “encarada na próxima legislatura”.

Incêndios florestais caíram 26% este ano face a 2018

“Estamos, até hoje, com 6.800 incêndios desde o início do ano, o que significa que temos um número de incêndios 36% inferior à média dos últimos dez anos. E uma área ardida 42% inferior à média dos últimos dez anos”, sublinhou Eduardo Cabrita.

Proteção Civil tem reservas de combustível para “mais de dois meses”

Apesar de garantir que existem reservas para mais de dois meses, Eduardo Cabrita sublinha que as prioridades têm de ser asseguradas quando se fala numa dificuldade de distribuição.
Comentários