PSD: “O custo do transporte coloca a Madeira em desvantagem face à concorrência”

O deputado Eduardo Jesus referiu que o custo que a Madeira tem, na importação e exportação, é excessivamente caro. O social democrata elogia o trabalho que o Governo Regional tem feito através do apoio em 100% do frete, de produtos regionais, para os portos.

O grupo parlamentar do PSD Madeira visitou esta quinta-feira a Empresa de Cervejas da Madeira (ECM) e a Insular Moinhos no âmbito da iniciativa ‘Internacionalização da Economia’. O custo dos transportes para exportar produtos, da Região Autónoma, para o mercado internacional, foi uma das maiores preocupações levantadas no decorrer destes encontros.

“O custo do transporte em toda a cadeia produtiva e que nos coloca em desvantagem grande relativamente a empresas que concorrem connosco no mercado externo”, afirmou Eduardo Jesus, deputado do PSD Madeira.

Foi destacado pelo social democrata que existe “um acréscimo de quase 3 mil euros” por cada contentor de 40 pés, que saí da Madeira, relativamente à concorrência, com destino à China.

“Esta circunstância condiciona a atividade económica da Madeira e dá relevo à preocupação com a política de transportes na Madeira”, realçou.

A política implementada pelo Governo Regional que financia, através do programa Financiamento, “o pagamento de 100% do frete da produção regional até o primeiro porto nacional” com o limite máximo de 65 mil euros, foi uma medida elogiada por Eduardo Jesus, e que permite atenuar o custo do transporte.

“É importante para o tecido empresarial regional”, salienta. O social democrata acrescentou que esta ajuda no frete “é bem vinda” porque a economia “precisa desse estímulo para se posicionar internacionalmente com a competitividade que nos falta”.

O social democrata voltou a vincar que o custo do transporte, na Madeira, para a importação e exportação, “é excessivamente caro”.

Nesta visita os sociais democratas destacaram o trabalho efectuado pela ECM em termos de exportação que permite à empresa “ter produtos colocados em países como os Estados Unidos da América, China e na zona do Médio Oriente”.

“A exportação aqui é uma condição de sobrevivência porque a Madeira tem de encontrar sempre fora o mercado que falta cá dentro”, referiu Eduardo Jesus. Para o deputado do PSD Madeira a ECM é “um exemplo deste processo com sucesso” reforçando que a empresa “exporta uma quantidade significativa da sua produção”.

Ler mais
Recomendadas

PremiumO Vinho Madeira que passa de geração em geração desde 1850

O maior desafio do Vinho Madeira é aumentar a produção das castas nobres Sercial, Verdelho, Boal, Malvasia e Terrantez, e diminuir a produção da Tinta Negra, “que já é excessiva”, diz Pereira de Oliveira.

PremiumDireito ainda está “fora de questão” mas “poderia reter” estudantes na região

Para já, não está em cima da mesa a criação de uma licenciatura em Direito na UMa, mas o reitor José Carmo diz que o curso tem procura local.

PremiumO valor do patrocínio num evento como o Rali Vinho Madeira

O Rali Vinho Madeira é um evento que ao longo dos anos tem atraído milhares às estradas madeirenses. Mas nem só de público vive esta prova de desporto motorizado. O patrocínio é outras das vertentes que sustenta e ajuda a levar cada edição a bom porto. Entre os patrocinadores estão marcas e empresas como a MEO e o BPI.
Comentários