PSI 20 abre com perdas em linha com a Europa

A queda dos preços do petróleo arrasta desde ontem as bolsas de forma generalizada e Lisboa não foi excepção, com o PSI 20 a recuar agora 0,44%.

Benoit Tessier / Reuters

O principal índice de referência nacional negoceia esta quarta-feira em terreno negativo, mantendo a tendência do fecho de ontem. A queda dos preços do petróleo arrastou as bolsas de forma generalizada e Lisboa não foi excepção. O PSI 20 recua agora 0,44% para 5.274,94 pontos, com 15 cotadas no vermelho, duas no verde e outras duas inalteradas.

A liderar as perdas no índice está a Pharol, que cai 3,32% para 0,2910 euros, seguida pela Navigator, a perder 0,92% para 3,9660 euros. No retalho, a Sonae recua 0,84% para 0,9430 euros, enquanto a concorrente Jerónimo Martins perde 0,64% para 17,7550 euros. O BCP desliza 0,08% para 0,2398 euros.

A petrolífera Galp cai 0,10% para 2,9070 euros, numa altura em que os preços do petróleo seguem em queda. O Brent recua 0,87% para 45,62 dólares por barril em Londres e o crude WTI de Nova Iorque perde 0,74% para 43,19 dólares por barril, o que significa uma desaceleração da desvalorização da matéria-prima, cujo preço caiu ontem mais de 2%.

Na Europa, o sentimento é negativo, com o índice parisiense a liderar as perdas. O francês CAC 40 tomba 1,15%, enquanto o espanhol IBEX 35 cai 0,95%, o italiano FTSE MIB perde 0,85% e o alemão DAX recua 0,62%. No terceiro dia de negociações do Brexit, o britânico FTSE 100 desliza 0,20%.

Relacionadas

PSI 20 abre com perdas em linha com a Europa

A queda dos preços do petróleo arrasta desde ontem as bolsas de forma generalizada e Lisboa não foi excepção, com o PSI 20 a recuar agora 0,44%.

Wall Street fecha em queda, mas analistas prevêem subida de 10% até ao fim do ano

As grandes empresas de tecnologia corrigiram dos ganhos anteriores com perdas moderadas na sessão. As farmacêuticas foram as que geraram mais ganhos. As petrolíferas voltaram a cair e a acompanhar a queda do preço do petróleo.
Recomendadas

PSI 20 acompanha Europa em alta. Títulos do Grupo EDP impulsionam praça nacional

O principal índice bolsista português soma 0,46%, para 4.855,54 pontos.

Abrandamento da economia poderá ser entrave para Moody’s igualar as pares na avaliação de Portugal

A Moody’s tem agendada uma avaliação à notação da dívida soberana portuguesa esta sexta-feira. A agência poderá querer alinhar-se com a S&P e a Fitch através de uma subida de um grau para ‘Baa2’, mas as incertezas que estão a esfriar o crescimento da economia global poderão ser motivo para manter o ‘status quo’.

Acalmia cambial trouxe bons resultados em Wall Street

O índice tecnológico S&P, .SPL.RCT, que inclui empresas que têm uma maior exposição ao mercado chinês e estiveram no centro das vendas registadas na segunda-feira, foi aquele que mais valorizou nesta sessão, com um crescimento de 1,61%.
Comentários