PSI 20 contraria Europa com ganhos tímidos. Petróleo cai 4%

O principal índice bolsista nacional somou 0,02%, para 5.626,74 pontos, no encerramento da sessão desta segunda-feira. Na bolsa de Frankfurt destacou-se pela positiva o Deutsche Bank, que disparou 7,08%, para 10,287 euros

Reuters/Lucas Jackson

No encerramento da sessão desta segunda-feira, dia 16 de julho, a bolsa portuguesa caracterizou-se por um ganho ligeiro, contrariando o sentimento negativo da maioria das suas congéneres europeias. O principal índice bolsista nacional, PSI 20, somou 0,02%, para 5.626,74 pontos, no término das negociações.

A impressionar estiveram, por exemplo, as ações da Mota-Engil (+1,17%), da Sonae e Sonae Capital (+1,18% e 1,19%, respetivamente), da Navigator (+0,30%), dos CTT – Correios de Portugal (+0,76%) e da EDP – Energias de Portugal (+0,09).

Tal como argumentou Ramiro Loureiro, Mtrader do Millennium bcp, os bons resultados apresentados pelo Bank of America [6,8 mil milhões de dólares, mais 33% em termos homólogos], são um dos destaques financeiros de hoje. A banca agradeceu, e refletiu-se também nos títulos do BCP, que fecharam com uma valorização de 0,08%, para 0,2596 euros.

A contrariar a tendência ‘verde’ da praça lisboeta estiveram cotadas como: NOS (-1,06%), Altri (-0,77%), Corticeira Amorim (-0,32%) ou Jerónimo Martins (-0,12%).

No setor petrolífero, o preço do barril de Brent, que serve de referência para a Europa, tomba 4,17% para 72,19 dólares, enquanto o do crude WTI recua 3,83%, para 67,27 dólares por barril. Quanto ao mercado cambial, o euro soma 0,18% face ao dólar, para 1,1707 dólares, e a libra recua 0,08% em comparação com a moeda norte-americana, para 1,3325 dólares.

“Os preços do petróleo reagem em baixa às notas de que a Arábia Saudita possa fornecer mais barris de petróleo do que inicialmente previsto. A Galp, que subia mais de 1% durante a manhã, foi perdendo o otimismo”, explicou o mesmo responsável do Millennium Investment Banking.

A Galp Energia divulgou hoje o seu trading update para o segundo trimestre de 2018, onde se conclui que a produção média (working  interest) da energética nacional terá aumentado 20%, face ao ano anterior, e 4% relativamente ao primeiro trimestre do ano.

Nas restantes bolsas europeias, o índice alemão DAX contrariou o pessimismo e ganhou 0,18%. Na bolsa de Frankfurt destacou-se pela positiva o Deutsche Bank, que disparou 7,08%, para 10,287 euros, e a Fresenius Medical Care, que somou 1,80%. Já o índice francês CAC 40 desvalorizou 0,36%, o holandês AEX caiu 0,32%, o britânico FTSE 100 depreciou 0,79%, o italiano FTSE MIB deslizou 0,29% e o espanhol IBEX 35 resvalou 0,15%. O Euro Stoxx 50 caiu 0,08%.

“O presidente da Reserva Federal norte-americana (Fed) irá explicar perante o Congresso a recente aceleração na subida prevista das taxas para este ano. Qualquer comentário que confirme a sua intenção de realizar 2 subidas adicionais irá levar a uma apreciação do dólar”, assinalam os analistas do Bankinter, na research de mercado enviada esta manhã.

Notícia atualizada 

Ler mais

Recomendadas

PSI 20 acompanha Europa em alta. Títulos do Grupo EDP impulsionam praça nacional

O principal índice bolsista português soma 0,46%, para 4.855,54 pontos.

Abrandamento da economia poderá ser entrave para Moody’s igualar as pares na avaliação de Portugal

A Moody’s tem agendada uma avaliação à notação da dívida soberana portuguesa esta sexta-feira. A agência poderá querer alinhar-se com a S&P e a Fitch através de uma subida de um grau para ‘Baa2’, mas as incertezas que estão a esfriar o crescimento da economia global poderão ser motivo para manter o ‘status quo’.

Acalmia cambial trouxe bons resultados em Wall Street

O índice tecnológico S&P, .SPL.RCT, que inclui empresas que têm uma maior exposição ao mercado chinês e estiveram no centro das vendas registadas na segunda-feira, foi aquele que mais valorizou nesta sessão, com um crescimento de 1,61%.
Comentários