PSI 20 em alta com subida de 3% da Jerónimo Martins e das papeleiras

“O fecho em alta da última sessão dos principais índices em Wall Street está a animar as bolsas na Europa”, afirma Paulo Rosa, trader da Gobulling – Banco Carregosa.

Reuters

A bolsa nacional negoceia esta terça-feira, 27 de março, em alta, partilhando o sentimento fortemente positivo das praças europeias. A meio da manhã, o principal índice português, PSI 20, valoriza 1,14%, para 5.380,44 pontos, impulsionado pelas subidas da Jerónimo Martins e das papeleiras.

A Jerónimo Martins lidera os ganhos, ao apreciar 3,27% para 14,695 euros. Paulo Rosa, trader da Gobulling – Banco Carregosa, explica que a cotada está de regresso aos ganhos “depois de ter sido bastante penalizada nas sessões anteriores”. A retalhista liderada por Pedro Soares dos Santos está a ser beneficiada pela revisão em alta da avaliação dos seus títulos pelo banco de investimento francês BNP Paribas, que melhorou 2% para 18,30 euros. A recomendação do BNP Paribas é de outperform, indica Paulo Rosa.

Esta segunda-feira, foi também avançado que a Jerónimo Martins pode estar a estudar a aquisição da Piot i Pawel (uma das suas concorrentes na Polónia), através da Biedronka, o principal ativo da empresa no país. A informação ainda não foi confirmada oficialmente.

A subir estão também os títulos das empresas de pasta e papel. A Semapa é a segunda cotada que mais sobe, ao valorizar 1,94% para 18,880 euros. Já a participada Navigator soma 1,61% para 4,796 euros, tendo atingido máximos históricos nos 4,824 euros, nota o trader da Gobulling. A Altri, especializada na produção de pastas de eucalipto, está também a subir 1,50% para 5,400 euros. A contribuir para esta tendência positiva do setor está a subida do preço da pasta de papel.

O BCP está também em alta. O banco liderado por Nuno Amado sobe 0,95% para 0,276 euros e “está a recuperar das perdas das últimas sessões”, indica Paulo Rosa. No setor da energia, a EDP soma 0,54% para 2,967 euros, a EDP Renováveis avança 0,66% para 7,670 euros, a Galp Energia aprecia 0,93% para 15,195 euros e a REN valoriza 0,49% para 2,462 euros.

Em terreno positivo estão também a Sonae (1,17%), a Sonae Capital (0,65%), a NOS (1,18%), a Pharol (1,30%), a Corticeira Amorim (0,58%) e os CTT (0,32%).

Do lado das perdas estão a Mota-Engil e a Ibersol. Paulo Rosa indica que a Mota-Engil está a ser pressionada pelas previsões dos analistas do Caixa BI, que estimam que a empresa tenha encerrado 2017 com um prejuízo de 6,8 milhões de euros. A empresa de construção perde 1,84% para 3,460 euros, depois de já ter reportado uma quebra acentuada dos seus resultados no primeiro semestre do ano. Os resultados oficiais serão dados a conhecer à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) no próximo dia 6 de abril.

Já no caso da Ibersol, Paulo Rosa nota que esta “é um título com pouca liquidez e pouca profundidade e pode facilmente inverter esta tendência e acompanhar os ganhos da praça portuguesa”.

Nas restantes praças europeias, predomina o sentimento positivo. O índice alemão DAX soma 1,64%, o espanhol IBEX 35 valoriza 1,01%, o francês CAC 40 sobe 1,35%, o britânico FTSE 100 avança 1,53%, o holandês AEX aprecia 1,39% e o italiano FTSE MIB ganha 1,34%.

“O fecho em alta da última sessão dos principais índices em Wall Street está a animar as bolsas na Europa. A sessão desta segunda-feira foi a melhor desde agosto de 2015, com os norte-americanos a olharem com menos receio para uma possível guerra comercial entre os Estados Unidos e a China, que parecem estar dispostos a renegociar tarifas alfandegárias e desequilíbrios comerciais”, explica Paulo Rosa.

No setor petrolífero, o Brent sobe 0,35% para 69,76 dólares por barril, e o crude WTI avança 0,34% para os 65,77 dólares.

No mercado cambial, “o euro está a acompanhar a subida dos mercados”. A moeda única valoriza 0,09%, para 1,245 dólares e a libra perde 0,51%, para 1,415 dólares.

Ler mais

Relacionadas

Bolsa portuguesa acompanha Europa com fortes ganhos

O principal índice nacional, PSI 20, avança 1,10% para os 5.377,79 pontos, numa altura em que as praças europeias seguem em terreno positivo.

PSI 20 encerrou sessão a cair, pressionado pela Jerónimo Martins, BCP e Galp

O principal índice bolsista nacional, o PSI 20, tombou 0,42%, para 5.319,84 pontos. Esta foi a terceira sessão consecutiva da bolsa de Lisboa a fechar no vermelho. As principais congéneres europeias também encerraram a cair.
Recomendadas

PSI 20 acompanha Europa em alta. Títulos do Grupo EDP impulsionam praça nacional

O principal índice bolsista português soma 0,46%, para 4.855,54 pontos.

Abrandamento da economia poderá ser entrave para Moody’s igualar as pares na avaliação de Portugal

A Moody’s tem agendada uma avaliação à notação da dívida soberana portuguesa esta sexta-feira. A agência poderá querer alinhar-se com a S&P e a Fitch através de uma subida de um grau para ‘Baa2’, mas as incertezas que estão a esfriar o crescimento da economia global poderão ser motivo para manter o ‘status quo’.

Acalmia cambial trouxe bons resultados em Wall Street

O índice tecnológico S&P, .SPL.RCT, que inclui empresas que têm uma maior exposição ao mercado chinês e estiveram no centro das vendas registadas na segunda-feira, foi aquele que mais valorizou nesta sessão, com um crescimento de 1,61%.
Comentários