PSI 20 fecha a cair, arrastado pelo tombo de 9,7% da Jerónimo Martins

A retalhista esteve esta quinta-feira em destaque devido à forte reação à apresentação de resultados. Os lucros caíram 35% em 2017, face ao ano anterior e as ações afundaram.

Inácio Rosa / Lusa

A Bolsa de Lisboa fechou esta quinta-feira com uma perda de 1,64% para 5.378,36 pontos com quase todas as cotadas no vermelho, num dia de perdas generalizadas entre as principais praças europeias. O destaque foi o tombo da Jerónimo Martins, após ter apresentado resultados, na quarta-feira, depois do fecho do mercado.

As ações da retalhista desvalorizaram 9,73% para 15,40 euros, a reagir ao anúncio de que os lucros caíram 35%, face a 2016, para 385 milhões de euros. “A rentabilidade foi penalizada por uma descida de cerca de 20 pontos na margem EBITDA consolidada para perto de 5,7%, ainda que com um aumento na margem EBITDA da Biedronka em 2017 (para 7,3%)”, destacaram os analistas do CaixaBI.

Ainda do lado das quedas, destacaram-se a Corticeira Amorim (2,75%), a Mota-Engil (2,38%), a Altri (2,14%), a Semapa (2,08%) e a Galp Energia (1,85%).

A EDP está também esta quinta-feira em foco, já que vai apresentar resultados relativos a 2017, sendo que o Caixa BI prevê disparo de 40% no lucro da EDP em 2017 com ganhos não-recorrentes. As ações da energética recuaram 1,24% para 2,719 euros.

Apenas o BCP e a REN conseguiram fechar no verde, com as ações do banco a ganharem 1,25% para 0,2987 euros e as da elétrica a subirem 0,32% para 2,482 euros.

Na Europa, o índice alemão DAX liderou as quedas, com uma perda de 1,99%. O Euro Stoxx 50 caiu 1,12%, o francês CAC 40 recuou 1%, o espanhol IBEX 35 cedeu 1,01%, o italiano FTSE MIB 0,59% e o britânico FTSE 100 0,79%. No mercado cambial, o euro valoriza 0,12% para 1,22 dólares.

Ler mais

Relacionadas

Jerónimo Martins afunda 9% e arrasta bolsa de Lisboa para o “vermelho”

O PSI 20 está a desvalorizar 2,13% para os 5.351,93 pontos a meio da sessão. A reagir aos números divulgados ontem, Jerónimo Martins lidera as perdas, ao mergulhar 9,09%. As ações já valem menos de 16 euros.

Jerónimo Martins: resultados líquidos caíram 35% em 2017, para 385 milhões

Resultados do grupo retalhista português foram penalizados pelo efeito da venda da Monterroio, em 2016. Numa base comparável, o lucro registado representaria um crescimento de 6,7%.

Consumo nos EUA desacelera crescimento e penaliza Wall Street

A pesar nos mercados norte-americanos está também o regresso do presidente da Fed ao Congresso. “O mercado está a fazer uma aposta antecipada que vai haver algum comentário hawkish que crie algum nervosismo”, considera Andre Bakhos.
Recomendadas

PSI 20 acompanha Europa em alta. Títulos do Grupo EDP impulsionam praça nacional

O principal índice bolsista português soma 0,46%, para 4.855,54 pontos.

Abrandamento da economia poderá ser entrave para Moody’s igualar as pares na avaliação de Portugal

A Moody’s tem agendada uma avaliação à notação da dívida soberana portuguesa esta sexta-feira. A agência poderá querer alinhar-se com a S&P e a Fitch através de uma subida de um grau para ‘Baa2’, mas as incertezas que estão a esfriar o crescimento da economia global poderão ser motivo para manter o ‘status quo’.

Acalmia cambial trouxe bons resultados em Wall Street

O índice tecnológico S&P, .SPL.RCT, que inclui empresas que têm uma maior exposição ao mercado chinês e estiveram no centro das vendas registadas na segunda-feira, foi aquele que mais valorizou nesta sessão, com um crescimento de 1,61%.
Comentários