PSI 20 fecha otimista à boleia da energia

Títulos da Altri continuaram a ganhar: +1,04% para 8,7300 euros, depois de o banco Santander ter atribuído um preço-alvo de 10,50 euros às ações da cotada.

Athar Hussain/Reuters

A bolsa portuguesa fechou a sessão desta segunda-feira, dia 9 de julho, em terreno positivo, partilhando o sentimento das congéneres europeias. O principal índice bolsista nacional, PSI 20, somou 0,77%, para 5.642,86 pontos, beneficiado pelas valorizações da Galp Energia, bem como todo o setor da energia, do BCP e CTT – Correios de Portugal.

A Galp Energia é uma das estrelas desta sessão. As ações da petrolífera nacional ganharam 1,63% para 17,145 euros, depois de o consórcio onde a empresa detém 10% ter avançado com o plano de desenvolvimento do projeto de produção e venda de gás natural proveniente do Coral Sul, na denominada Área 4, localizada na bacia Rovuma, em Moçambique.

Num comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, a Galp Energia explicou que o plano de desenvolvimento para a primeira fase do projeto Rovuma LNG prevê a produção, liquefação e venda gás natural proveniente dos relevantes campos de Mamba. A decisão final de investimento é esperada em 2019 e o início de produção em 2024.

Ainda no setor da energia, a EDP – Energias de Portugal somou 1,81% e a REN valorizou 0,16%. Por outro lado, a EDP Renováveis fechou no ‘vermelho’, com um deslize de 0,49% para 9,0550 euros.

Em entrevista à agência de notícias “Bloomberg“, a diretora-executiva da Engie, Isabelle Kocher, disse ainda ser demasiado cedo para estar envolvido nas operações. No final de junho, notas de mercado indicavam que a Engie estaria interessada em comprar os ativos da EDP Renováveis nos Estados Unidos da América.

O BCP e os CTT estiveram também em alta com uma subida 0,70% e 1,10%, respetivamente. No setor do retalho, a Jerónimo Martins avançou 0,12%, enquanto a Sonae desvalorizou 0,20% para 1,0220 euros.

Quanto aos títulos da Altri, continuaram a ganhar: +1,04% para 8,7300 euros, depois de o banco Santander ter atribuído um preço-alvo de 10,50 euros às ações da cotada. O consenso de analistas tem atribuído um preço-alvo de 7,55 euros.

A ‘verde’ encerraram ainda as ações: da Mota-Engil (+0,82%), a Pharol (+2,08%), bem como a Navigator (+0,90%).

A NOS somou 0,86%, para 4,9100 euros, após a Anacom ter determinado que os tarifários que violam as regras de roaming e de neutralidade da rede teriam de ser alterados.

Nas restantes bolsas europeias, o índice alemão DAX ganhou 0,40%, o francês CAC 40 valorizou 0,42%, o holandês AEX avançou 0,74%, o britânico FTSE 100 subiu 0,95%, o italiano FTSE MIB ganhou 0,49% e o espanhol IBEX 35 apreciou 0,22%.

No setor petrolífero, o preço do barril de Brent, que serve de referência para a Europa, valoriza 1,15% para 78,00 dólares, enquanto o crude WTI perde 0,43%, para 73,48 dólares por barril. Quanto ao mercado cambial, o euro perde 0,01% para 1,1744 dólares e a libra recuou 0,40%, para 1,3234 dólares.

Ler mais

Recomendadas

PSI 20 acompanha Europa em alta. Títulos do Grupo EDP impulsionam praça nacional

O principal índice bolsista português soma 0,46%, para 4.855,54 pontos.

Abrandamento da economia poderá ser entrave para Moody’s igualar as pares na avaliação de Portugal

A Moody’s tem agendada uma avaliação à notação da dívida soberana portuguesa esta sexta-feira. A agência poderá querer alinhar-se com a S&P e a Fitch através de uma subida de um grau para ‘Baa2’, mas as incertezas que estão a esfriar o crescimento da economia global poderão ser motivo para manter o ‘status quo’.

Acalmia cambial trouxe bons resultados em Wall Street

O índice tecnológico S&P, .SPL.RCT, que inclui empresas que têm uma maior exposição ao mercado chinês e estiveram no centro das vendas registadas na segunda-feira, foi aquele que mais valorizou nesta sessão, com um crescimento de 1,61%.
Comentários