PSI20 em queda com ações da Jerónimo Martins a perderem 5%

O principal índice da bolsa de Lisboa, o PSI20, segue a recuar 0,65%, contrariando a tendência das principais bolsas europeias, penalizada pelos títulos da Jerónimo Martins que seguem a perder perto de 5%. O PSI20 segue a negociar nos 5.163,74 pontos, com 12 dos 18 títulos que o compõem a negociarem negativos, um inalterado (o […]

O principal índice da bolsa de Lisboa, o PSI20, segue a recuar 0,65%, contrariando a tendência das principais bolsas europeias, penalizada pelos títulos da Jerónimo Martins que seguem a perder perto de 5%.

O PSI20 segue a negociar nos 5.163,74 pontos, com 12 dos 18 títulos que o compõem a negociarem negativos, um inalterado (o Banif) e cinco positivos.

A liderar as perdas seguem as ações da jerónimo Martins, que estiveram já no arranque das negociações a cair perto de 7% e que seguem no vermelho, a desvalorizar 4,82% para 7,59 euros.

A penalizar o desempenho da dona da cadeia de supermercados Pingo Doce está a divulgação dos resultados relativos aos primeiros nove meses do ano.

Neste período, o lucro da retalhista recuou 15,5%, face a igual período de 2013, para 237 milhões de euros.

As ações do BCP seguem igualmente a penalizar o índice, com perdas de 1,63% para 0,9 euros.

Do lado dos ganhos, o destaque é da PT, que evitava maiores perdas do PSI20, com as ações a avançarem 1,25% para 1,14 euros, seguida da Impresa, cujas ações estão a subir 0,91% para 1,0 euros.

Lisboa contraria o sentimento das principais praças europeias, que seguem hoje em alta, à exceção de Londres, com os investidores a reagirem positivamente ao anúncio da Reserva Federal norte-americana (Fed) de terminar o programa de estímulos.

OJE/Lusa

Ler mais

Recomendadas

PSI 20 acompanha Europa em alta. Títulos do Grupo EDP impulsionam praça nacional

O principal índice bolsista português soma 0,46%, para 4.855,54 pontos.

Abrandamento da economia poderá ser entrave para Moody’s igualar as pares na avaliação de Portugal

A Moody’s tem agendada uma avaliação à notação da dívida soberana portuguesa esta sexta-feira. A agência poderá querer alinhar-se com a S&P e a Fitch através de uma subida de um grau para ‘Baa2’, mas as incertezas que estão a esfriar o crescimento da economia global poderão ser motivo para manter o ‘status quo’.

Acalmia cambial trouxe bons resultados em Wall Street

O índice tecnológico S&P, .SPL.RCT, que inclui empresas que têm uma maior exposição ao mercado chinês e estiveram no centro das vendas registadas na segunda-feira, foi aquele que mais valorizou nesta sessão, com um crescimento de 1,61%.