Quase um quarto dos desempregados encontrou trabalho no terceiro trimestre

127,9 mil pessoas arranjaram trabalho no terceiro trimestre de 2016. O valor é o segundo maior desde 2011.

Jose Manuel Ribeiro/Reuters

No terceiro trimestre, 127,9 mil pessoas recuperaram o emprego em Portugal, com 22,9% da população desempregada a obter trabalho. Este valor de recuperação de emprego é o segundo mais elevado dos últimos cinco anos, superado somente pelo segundo trimestre de 2015, segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Os dados do INE revelam que a taxa de desemprego desceu em 2016, também registando o valor mais baixo desde 2011, fruto ainda de menos saídas do mercado de trabalho.  O desemprego no terceiro trimestre deste ano ficou nos 10,5%, contra os 12,4% em 2011, ano em que Portugal foi forçado a pedir o resgate financeiro.

O INE revela que no final de setembro o número de desempregados em Portugal era 549,5 mil, menos 63 816 do que no mesmo período do ano anterior. O desemprego jovem também tem recuado, com uma quebra de 17,3% no terceiro trimestre face ao período homólogo.

Recomendadas

Marcelo aprova aumentos de 700 euros para juízes, mas critica fosso salarial face aos polícias e militares

Marcelo Rebelo de Sousa destaca que os juízes, e membros de autoridades reguladoras e de supervisão a entidades públicas empresariais e empresas públicas, passando por outras entidades administrativas, já estão com salários mais elevados do que o primeiro-ministro. O Presidente exige que a desigualdade salarial seja “encarada na próxima legislatura”.

Incêndios florestais caíram 26% este ano face a 2018

“Estamos, até hoje, com 6.800 incêndios desde o início do ano, o que significa que temos um número de incêndios 36% inferior à média dos últimos dez anos. E uma área ardida 42% inferior à média dos últimos dez anos”, sublinhou Eduardo Cabrita.

Proteção Civil tem reservas de combustível para “mais de dois meses”

Apesar de garantir que existem reservas para mais de dois meses, Eduardo Cabrita sublinha que as prioridades têm de ser asseguradas quando se fala numa dificuldade de distribuição.
Comentários