Queda do Facebook atinge tecnologia e contagia Wall Street

Preocupações sobre o aumento da regulação para grandes empresas tecnológicas, após o Facebook ter sido acusado de não ter travado o uso indevido de informações dos utilizadores, levaram a uma queda a pique entre as FANG.

Wall Street fechou esta segunda-feira em queda, com o índice financeiro S&P 500 e o tecnológico Nasdaq a sofrerem os piores dias em cinco semanas. A causa foram preocupações sobre o aumento da regulação para grandes empresas tecnológicas, após o Facebook ter sido acusado de não ter travado o uso indevido de informações dos utilizadores.

Um relatório conhecido esta segunda-feira indica que informações privadas de mais de 50 milhões de perfis no Facebook foram recolhidos por uma empresa de dados com ligação à campanha do presidente Donald Trump, em 2016, sem que os utilizadores fossem alertados.

Com esta notícia, as ações da empresa detentora da rede social acabaram por cair 6,77% para 172,56 dólares. No grupo que compõe as FANG, a Amazon perdeu 1,7% para 1.544,93 dólares por ação, a Netflix 1,56% para 313,48 dólares e a Google (Aphabet) 3,03% para 1.100,07 dólares. O resultado foi uma perda de 1,84% para 7.344,24 pontos do Nasdaq.

“Se as nuvens regulatórias chegarem para o Facebook, certamente o Google e a Amazon vão enfrentar questões crescentes sobre a capacidade de gerar crescimento dos ganhos extraordinários se os reguladores os penalizarem”, afirmou Michael Purves, estrategista-chefe global da Weeden & Co., em declarações à agência Bloomberg. No entanto, acrescentou que “se as notícias do Facebook não tivessem existido, haveria todo o tipo de receios, apenas devido a Trump”.

O financeiro S&P 500 recuou 1,42% para 2.712,93 pontos e o industrial Dow Jones 1,35% para 24.610,91 pontos. No mercado cambial, a moeda norte-americana deprecia-se 0,41% contra o euro, para 1,234 dólares. Os juros das Tresuries a 10 anos avançaram ligeiramente para 2,85%.

Os mercados estão também em modo de espera pela reunião do Federal Open Market Committee (FOMC), da Reserva Federal dos EUA. A expetativa é que, na quarta-feira, Jerome Powell anuncie um aumento da federal funds rate.

Ler mais

Relacionadas

Ministro alemão diz que é possível uma solução entre UE e EUA sobre tarifas

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, promulgou no passado dia 8 a imposição de taxas de 25% às importações de aço e de 10% às de alumínio, mas isentou provisoriamente o Canadá e o México.
Recomendadas

PSI 20 acompanha Europa em alta. Títulos do Grupo EDP impulsionam praça nacional

O principal índice bolsista português soma 0,46%, para 4.855,54 pontos.

Abrandamento da economia poderá ser entrave para Moody’s igualar as pares na avaliação de Portugal

A Moody’s tem agendada uma avaliação à notação da dívida soberana portuguesa esta sexta-feira. A agência poderá querer alinhar-se com a S&P e a Fitch através de uma subida de um grau para ‘Baa2’, mas as incertezas que estão a esfriar o crescimento da economia global poderão ser motivo para manter o ‘status quo’.

Acalmia cambial trouxe bons resultados em Wall Street

O índice tecnológico S&P, .SPL.RCT, que inclui empresas que têm uma maior exposição ao mercado chinês e estiveram no centro das vendas registadas na segunda-feira, foi aquele que mais valorizou nesta sessão, com um crescimento de 1,61%.
Comentários