Rácio de crédito vencido das empresas agrava em abril para 13,1%

O Banco de Portugal relata que o rácio de crédito vencido das sociedades não financeiras (empresas) foi de 13,1%, representando um aumento de 0,2 p.p. em relação a março. Por outro lado a percentagem de devedores com crédito vencido aumentou 0,1 p.p. para 24,8%.

Cristina Bernardo

O Banco de Portugal acaba de revelar as estatísticas relativas a abril de 2018 sobre empréstimos concedidos pelo setor financeiro residente às sociedades não financeiras e às famílias.

A destacar o facto de o crédito às empresas exportadoras ter diminuído face a março e do rácio de crédito vencido sobre o crédito total a empresas ter aumentado em abril.

Segundo a nota estatística do banco central, em abril de 2018, a taxa de variação anual  dos empréstimos concedidos às sociedades não financeiras (empresas) foi de -1,8%. Este valor representa um aumento de 0,1 pontos percentuais (pp) relativamente a março.

No entanto “as empresas privadas exportadoras apresentaram em abril uma taxa de variação anual de -0,3%, menos 0,9 p.p. que o verificado no mês anterior”.

O Banco de Portugal relata que o rácio de crédito vencido das sociedades não financeiras (empresas) foi de 13,1%, representando um aumento de 0,2 p.p. em relação a março. Por outro lado a percentagem de devedores com crédito vencido aumentou 0,1 p.p. para 24,8%.

Empréstimos concedidos às famílias mantêm-se

Em abril de 2018, a taxa de variação anual dos empréstimos concedidos às famílias situou-se em 0,2%, valor idêntico ao mês anterior, lê-se na nota.

Na análise do crédito concedido por finalidade, verifica-se que a taxa de variação do crédito à habitação manteve-se em -1,4%, enquanto a taxa de variação anual do crédito ao consumo e outros fins diminuiu 0,2 p.p para 6,6%.

O rácio de crédito vencido do setor das famílias permaneceu inalterado em 4,2%, tendo sido registado um aumento de 0,2 p.p. na percentagem de devedores com crédito vencido, fixando-se em 11,9% no mês em análise.

Ler mais
Recomendadas

Inovação e empreendedorismo

Há que aplicar as novas tecnologias à cadeia de valor de uma empresa para que esta possa fornecer a melhor resposta ao cliente, conhecendo e focando-se nas necessidades que este tem. Neste ponto as startups representam uma mais-valia.

CGD avalia ações contra gestores que aprovaram crédito a Vale do Lobo

Advogados da CGD estão a avaliar ações cíveis contra gestores da administração de Santos Ferreira que deram ‘luz verde’ a operação Vale do Lobo. Parecer é entregue após o verão para decisão final.

JP Morgan bem posicionado para liderar entrada em bolsa da WeWork

Dona da WeWork vai emitir obrigações até seis mil milhões de dólares e fontes próximas da empresa revelaram que a instituição financeira que montar esta operação poderá ter papel ativo na entrada em bolsa da WeWork.
Comentários