Rácio entre novas empresas e encerramentos continua a crescer e atinge 2,8

Nos últimos 12 meses o número de empresas e outras organizações criadas por cada uma que encerra foi de 2,8 (rácio nascimentos / encerramentos) valor superior ao verificado há um ano atrás (2,3). Os setores com maior rácio de nascimentos / encerramentos são as atividades imobiliárias (6,3) e a agricultura, pecuária, pesca e caça (3,9), segundo o Barómetro da Informa D&B.

Rodeie-se de talento.

Foi publicado o Barómetro Informa D&B sobre nascimentos, encerramentos e novas insolvências de empresas relativo a fevereiro 2018.  Nele é dito que nos primeiros dois meses de 2018, nasceram 8.820 empresas e outras organizações, o que traduz uma subida de 12,1% face ao mesmo período de 2017 (a variação nos últimos 12 meses é de últimos 12 meses +11,8%), “mantendo-se assim a forte dinâmica de nascimentos do ano anterior”, diz a instituição liderada por Teresa Cardoso de Menezes.

Este crescimento deve-se essencialmente aos distritos de Lisboa e Porto, responsáveis por mais de 70% do aumento de nascimentos, destacando-se também o crescimento das constituições de empresas nos setores dos Serviços, Atividades imobiliárias, Construção e Transportes.

Segundo o Barómetro: “O crescimento dos nascimentos é também generalizado à maioria dos setores de atividade, com destaque para os aumentos dos setores dos Serviços (mais 291 nascimentos, +11,3%), Construção (mais 222 nascimentos, +30,8%), Atividades imobiliárias (mais 191 nascimentos, +31,7%) e Transportes (mais 129 nascimentos, +72,9%). Do lado das descidas, a assinalar apenas o setor da Agricultura, pecuária, pesca e caça (menos 153 empresas, -40,2%)”.

Os encerramentos nos dois primeiros meses de 2018 (2.438) desceram 1,3% face ao período homólogo. Já no acumulado dos últimos 12 meses a descida é de -6,8%.

“Nos dois primeiros meses de 2018, os encerramentos desceram -1,3%, abrandando assim o ritmo de descida verificado em 2017, não sendo a descida generalizada a todos os setores de atividade e distritos, com os principais distritos, Lisboa (+65 encerramentos, +8,9%) e Porto (+ 20 encerramentos, +2,1%), com ligeiras subidas”, lê-se no documento.

Nos últimos 12 meses o número de empresas e outras organizações criadas por cada uma que encerra foi de 2,8 (rácio nascimentos / encerramentos) valor superior ao verificado há um ano atrás (2,3). Os setores com maior rácio de nascimentos / encerramentos são as Atividades imobiliárias (6,3) e a Agricultura, pecuária, pesca e caça (3,9).

Nas novas insolvências (473), o ciclo de descida iniciado em 2013 mantém-se em 2018, não sendo, no entanto, generalizada aos setores de atividade e distritos (face ao período homólogo do ano anterior a queda é de -6,5% e nos 12 meses a queda é de -15,0%).

A percentagem de empresas que cumprem os prazos de pagamento acordados (15,6%) está em queda desde setembro de 2017, atingindo em fevereiro o valor mais reduzido desde 2007.

Ler mais
Recomendadas

Indústria Alimentar: o caminho da digitalização

No contexto da Indústria Alimentar, as organizações para se adaptarem necessitam de investir, e, atualmente, as tecnologias digitais chave passam pela: Robótica, Serviços móveis, Tecnologia Cloud, Internet-of-Things, Cibersegurança, Big Data e Analítica avançada, Impressão 3D, Inteligência Artificial e Social Media. Os consumidores, também eles cada vez mais nativos digitais, ditam tendências e as indústrias adaptam-se, quer […]

Japão testa drones que transportam pessoas para diminuir o trânsito

Os responsáveis pelo projeto apontam que os drones tripulados poderão ser uma solução para combater o trânsito: “O Japão é um país com uma densidade populacional muito elevada, e como tal, carros voadores poderão ser a solução para diminuir o trânsito no país”.

Procrastinação ou a coragem de mudar

É preciso saber e decidir sem vacilar. Caso contrário, faremos parte das fotos guardadas no baú. Para mais tarde recordar.
Comentários