Real Vida Seguros concretiza aquisição de Finibanco Vida e BANIF Pensões

Ativos sob gestão superam 500 milhões de euros com a integração de todas as instituições. A Real Vida é detida pela Patris.

Real Vida Seguros concretizou a aquisição de Finibanco Vida e Banif Pensões e anunciou no último dia do ano.

Gonçalo Pereira Coutinho, presidente da holding que detém a Real Vida, durante a sessão apresentação da admissão da Patris Investimentos no Alternext, mercado não regulamentado da Euronext, tinha referido que “já foram assinados os contratos de compra de duas unidades, uma é a Finibanco Vida, do grupo Montepio, a outra é a Banif Pensões”.

Não foram avançados os valores dos negócios.

A Finibanco Vida foi comprada à Associação Mutualista.

“No âmbito do seu projecto estratégico de crescimento e afirmação como seguradora vida de referência em Portugal, finalizou esta semana a aquisição de 100% do capital da Finibanco Vida e da quase totalidade do capital social da Banif Pensões – Sociedade Gestora de Fundos de Pensões”, anuncia a empresa em comunicado.

A Real Vida Seguros, na qual estas duas sociedades se vão fundir, passa a deter activos superiores a 300 milhões de euros e a gerir mais de 300 milhões de euros de fundos de pensões, ficando com mais de 4 mil milhões de euros em créditos titularizados.

Além da Real Vida Seguros, a Patris Investimentos detém a Fincor Corretora, a Patris Gestão de Activos e a Patris Sociedade Gestora de Fundos de Titularização de Créditos. Tem também participações fora do sector financeiro, como uma participação na Controlauto, entidade que faz inspecções automóveis.

(Actualizada)

Ler mais
Recomendadas

Inovação e empreendedorismo

Há que aplicar as novas tecnologias à cadeia de valor de uma empresa para que esta possa fornecer a melhor resposta ao cliente, conhecendo e focando-se nas necessidades que este tem. Neste ponto as startups representam uma mais-valia.

CGD avalia ações contra gestores que aprovaram crédito a Vale do Lobo

Advogados da CGD estão a avaliar ações cíveis contra gestores da administração de Santos Ferreira que deram ‘luz verde’ a operação Vale do Lobo. Parecer é entregue após o verão para decisão final.

JP Morgan bem posicionado para liderar entrada em bolsa da WeWork

Dona da WeWork vai emitir obrigações até seis mil milhões de dólares e fontes próximas da empresa revelaram que a instituição financeira que montar esta operação poderá ter papel ativo na entrada em bolsa da WeWork.
Comentários