Reforma da zona euro: Paris e Berlim trabalham em propostas comuns

“Estamos prontos para alcançar acordos”, apesar das “dificuldades técnicas que permanecem”, declarou o ministro francês, Bruno Le Maire.

Os ministros das Finanças de França e da Alemanha afirmaram hoje que querem estabelecer “um roteiro” comum sobre a reforma da zona euro antes da cimeira da União Europeia (UE) de junho.

“Estamos prontos para alcançar acordos”, apesar das “dificuldades técnicas que permanecem”, declarou o ministro francês, Bruno Le Maire, numa conferência de imprensa conjunta com o seu homólogo alemão, Olaf Scholz, em Paris.

“O objetivo é conseguir um roteiro global franco-alemão para a zona euro antes do Conselho Europeu de junho próximo”, acrescentou.

O responsável alemão afirmou que o objetivo é “reformar a zona euro” em muitos aspetos, indicando em particular a união bancária e a convergência na fiscalidade.

Estes pontos vão ser objeto de uma análise de peritos antes de serem lançadas propostas comuns.

Le Maire reconheceu que “há dificuldades técnicas pendentes” relacionadas com os interesses diferentes de cada país e afirmou que “seria irresponsável minimizar essas dificuldades e não as abordar seriamente”.

Questionado sobre as propostas de reforma avançadas pelo presidente francês, Emmanuel Macron, Olaf Schoz saudou essas iniciativas. “É um bom sinal para a Europa”, declarou, acrescentando que a Alemanha quer responder a esse sinal.

Paris tem vindo a defender uma série de reformas ao nível da União Europeia, que incluem, por exemplo, um ministro das Finanças e um orçamento comum para a zona euro, mas essas propostas suscitam reservas do lado alemão, o mesmo tendo acontecido com outros países europeus.

Numa altura em que o presidente norte-americano, Donald Trump, anunciou que vai taxar as importações de aço e de alumínio, os dois ministros manifestaram-se contra o protecionismo.

Ler mais
Recomendadas

Como a Indústria 4.0 pode ajudar a criar a fábrica do futuro

A fábrica do futuro é o centro de uma cadeia de distribuição que combina clientes, fornecedores, distribuidores e parceiros com sistemas analíticos avançados. Isso pode levar a uma “produção perfeita” com o mínimo de tempo de inatividade, negligência, desperdício e ineficiência.

Sustentabilidade no investimento: menos risco, mais valor

Reduzir a quantidade de plásticos descartáveis ou viajar de comboio são duas formas de reduzir a nossa pegada ecológica. E no investimento, o que podemos fazer para reforçar a sustentabilidade?
Comentários