Reino Unido pondera acordo com Estados Unidos para isenção tarifária

Um possível acordo entre Reino Unido e Estados Unidos relativamente a isenções tarifárias pode trazer uma disputa judicial com a União Europeia, diz a Bloomberg.

Andrew Boyers / Reuters

A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, está a ponderar um acordo com os Estados Unidos para uma isenção tarifária sobre o aço. Esta intenção, caso avance, pode levar a uma disputa judicial com a União Europeia, explica a Bloomberg.

A Bloomberg diz que a recusa do Reino Unido em excluir um cenário em que o país tenha uma isenção tarifária própria dos Estados Unidos pode levar a uma “disputa legal” com a União Europeia.

O Reino Unido referiu que está a trabalhar com os estados membros da União Europeia sobre o dossier das tarifas sobre o aço e alumínio que os Estados Unidos estão a aplicar. Apesar disso a Bloomberg explica que tanto Theresa May, como o departamento que gere as trocas internacionais do país, não disseram se o Reino Unido poderia legalmente aceitar uma isenção tarifária que não se aplique ao resto da União Europeia.

A mesma publicação diz que um possível acordo entre Estados Unidos e Reino Unido, relativamente a isenções tarifárias, pode trazer “um risco legal” tendo em conta que o Reino Unido ainda faz parte da União Europeia.

De recordar que os Estados Unidos introduziram uma tarifa sobre o aço e o alumínio como forma de proteger a indústria do país. Apesar disso os norte-americanos já referiram que o Canadá vai ser um dos países a beneficiar de uma isenção tarifária sobre estes materiais.

A China prometeu retaliar com guerra comercial aquando do anúncio dos Estados Unidos em avançarem com estas tarifas.

Ler mais
Relacionadas

UE espera vir a ser excluída das tarifas dos Estados Unidos sobre aço e alumínio

A comissária europeia do Comércio, Cecilia Malmström, vai à Organização Mundial do Comércio (OMC) protestar contra as novas taxas aduaneiras, assegurando que as tarifas não vão proteger a indústria norte-americana.
Recomendadas

Marcelo aprova aumentos de 700 euros para juízes, mas critica fosso salarial face aos polícias e militares

Marcelo Rebelo de Sousa destaca que os juízes, e membros de autoridades reguladoras e de supervisão a entidades públicas empresariais e empresas públicas, passando por outras entidades administrativas, já estão com salários mais elevados do que o primeiro-ministro. O Presidente exige que a desigualdade salarial seja “encarada na próxima legislatura”.

Incêndios florestais caíram 26% este ano face a 2018

“Estamos, até hoje, com 6.800 incêndios desde o início do ano, o que significa que temos um número de incêndios 36% inferior à média dos últimos dez anos. E uma área ardida 42% inferior à média dos últimos dez anos”, sublinhou Eduardo Cabrita.

Proteção Civil tem reservas de combustível para “mais de dois meses”

Apesar de garantir que existem reservas para mais de dois meses, Eduardo Cabrita sublinha que as prioridades têm de ser asseguradas quando se fala numa dificuldade de distribuição.
Comentários