Rendas em atraso nos bairros sociais chegam aos 48 milhões de euros

Instituto da Habitação e Reabilitação Urbana (IHRU) é credor de 39% deste valor. Zona metropolitana de Lisboa regista maior incumprimento que o grande Porto. Dívida abrange mais de 80 mil famílias.

Os bairros sociais em Portugal somam uma dívida de 48 milhões de euros de rendas em atraso. De acordo com o “Jornal de Notícias” (JN) este registo deve-se em boa parte aos devedores ao Instituto da Habitação e Reabilitação Urbana (IHRU), que é responsável pela gestão de 13 mil fogos, em 45 concelhos, é credor em 39%.

O maior registo de incumprimento situa-se na área da grande Lisboa, sendo também esta a zona onde se encontram as duas câmaras com as menores mensalidades: Barreiro (16 euros) e Almada (23,45 euros). Já no grande Porto as rendas médias encontram-se abaixo dos 60 euros, com a média a situar-se nos 56,05 euros.

De resto as duas áreas são em conjunto com o IHRU, são os maiores senhorios de habitação social em Portugal, onde os valores em atraso são menores: 6,1 milhões de euros na capital e 190 mil euros na zona Norte, respetivamente.

De resto é no Porto que se encontram menos devedores, com o incumprimento atual de 3,65%, o que representa 464 famílias, num total de 13 mil. Em relação a Lisboa, com um parque habitacional mais extenso (20 mil fogos) e cerca de 70 mil moradores, o valor registado é de 12,7%.

Recomendadas

Como a Indústria 4.0 pode ajudar a criar a fábrica do futuro

A fábrica do futuro é o centro de uma cadeia de distribuição que combina clientes, fornecedores, distribuidores e parceiros com sistemas analíticos avançados. Isso pode levar a uma “produção perfeita” com o mínimo de tempo de inatividade, negligência, desperdício e ineficiência.

Sustentabilidade no investimento: menos risco, mais valor

Reduzir a quantidade de plásticos descartáveis ou viajar de comboio são duas formas de reduzir a nossa pegada ecológica. E no investimento, o que podemos fazer para reforçar a sustentabilidade?
Comentários