Roberto Almada: “Deixo a coordenação do BE Madeira de consciência tranquila”

No balanço ao seu mandato como coordenador regional Roberto Almada destaca os quatro anos de ausência do parlamento regional como um dos momentos mais difíceis mas referiu que foi isso que permitiu ao BE ter os resultados que teve.

O passado domingo marcou a despedida de Roberto Almada do cargo de coordenador regional do BE Madeira depois da convenção ter eleito para esta tarefa Paulino Ascensão. No balanço de quase 10 anos nestas funções o também deputado na Assembleia Regional diz, ao Económico Madeira, que sai de consciência tranquila e que deixa o partido na melhor posição de sempre.

Roberto Almada refere que a convenção regional do passado domingo resolveu mudar a coordenação do BE Madeira. “Não há críticas. Saio destas funções com a consciência tranquila”, esclarece.

Nos quase 10 anos na coordenação dos bloquistas madeirenses Roberto Almada diz que “existiram altos e baixos” mas que “o balanço é positivo”.

Roberto Almada explica que deixa estas funções com os melhores resultados de sempre. “Isto tem que ver com o coordenador e não só. Ele é o primeiro responsável político quer pelo fracasso quer pelo sucesso”, acrescenta.

O anterior coordenador do BE Madeira afirma que os quatro anos em que o partido esteve de fora do parlamento regional foram marcantes. “Foi um dos momentos mais difíceis da minha vida política”, realça.

“Estivemos sem financiamento público e fizemos muitos sacrifícios para manter o partido com as portas abertas”, explica Roberto Almada. “Mas foi isso que permitiu depois obtermos os resultados que tivemos”, reforça.

Apesar de Roberto Almada não continuar na coordenação regional do partido a convenção elegeu-o como um dos elementos da direcção do BE Madeira.

“Vou cumprir o meu mandato na direcção”, clarificou Roberto Almada. “Não me vou substituir ao coordenador regional”, acrescenta.

A intenção de Roberto Almada passa também por manter as suas funções como deputado na Assembleia Regional.

Roberto Almada mostrou a sua disponibilidade, caso o coordenador regional, Paulino Ascensão, assim o entenda, “para ajudar naquilo que puder”.

Quanto aos desafios do BE Madeira Roberto Almada refere que passam por “manter ou reforçar” os actuais eleitos. Nesta altura o partido tem dois deputados na Assembleia Regional, um na Assembleia da República, e 19 autarcas, explica Roberto Almada.

Para além disto Roberto Almada refere que o partido vai também “manter uma intervenção” que responda aos anseios da população.

Ler mais
Recomendadas

PremiumO Vinho Madeira que passa de geração em geração desde 1850

O maior desafio do Vinho Madeira é aumentar a produção das castas nobres Sercial, Verdelho, Boal, Malvasia e Terrantez, e diminuir a produção da Tinta Negra, “que já é excessiva”, diz Pereira de Oliveira.

PremiumDireito ainda está “fora de questão” mas “poderia reter” estudantes na região

Para já, não está em cima da mesa a criação de uma licenciatura em Direito na UMa, mas o reitor José Carmo diz que o curso tem procura local.

PremiumO valor do patrocínio num evento como o Rali Vinho Madeira

O Rali Vinho Madeira é um evento que ao longo dos anos tem atraído milhares às estradas madeirenses. Mas nem só de público vive esta prova de desporto motorizado. O patrocínio é outras das vertentes que sustenta e ajuda a levar cada edição a bom porto. Entre os patrocinadores estão marcas e empresas como a MEO e o BPI.
Comentários