Rússia nega ter criado agente tóxico Novichok

Este agente tóxico bloqueia a transmissão dos impulsos nervosos e é mais potente que o Sarin.

Moscovo nunca desenvolveu, nem mesmo nos tempos da URSS, programas de armas químicas “Novitchok”, o agente tóxico que terá sido usado no envenenamento de um ex-espião russo no Reino Unido, afirmou hoje Serguei Riabkov, vice-ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, citado pela agência Interfax.

Os líderes dos Estados Unidos, França, Reino Unido e Alemanha pediram explicações à Rússia sobre o atentado contra o ex-espião Sergei Skripal e a sua filha, após um ataque com um agente neurotóxico, que Londres atribui à Rússia.

Serguei, 66 anos, e a filha Yulia, 33, foram encontrados inconscientes no dia 4 de março, num banco num centro comercial em Salisbury, no sul de Inglaterra, e estão hospitalizados em “estado crítico, mas estável”.

Numa intervenção no parlamento, Theresa May considerou “muito provável” que a Rússia tivesse sido responsável pelo duplo envenenamento. Os líderes de França, Alemanha, EUA e Reino Unido repudiaram hoje, em conjunto, a utilização do agente neurotóxico Novichok contra Sergei Skripal e a filha como uma “violação do direito internacional” e uma “ameaça à segurança de todos”.

Recomendadas

“Que Deus abençoe a memória daqueles em Toledo”. Trump engana-se no nome da cidade do massacre no Ohio

O presidente norte-americano referiu-se referiu a Toledo, e não a Dayton, nas suas observações sobre um dos recentes massacres onde morreram nove pessoas e outras 27 ficaram feridas.

A “Casa de Papel” na vida real: Assalto à Casa da Moeda do México leva dos cofres 50 milhões em menos de 4 minutos

Os assaltantes conseguiram desarmar um guarda e furar todas as barreiras de segurança até chegarem ao cofre de segurança, que estaria aberto. Em menos de quatro minutos, o grupo de homens roubou e fugiu do edifício sem que a polícia tivesse sequer chegado.

Japão testa drones que transportam pessoas para diminuir o trânsito

Os responsáveis pelo projeto apontam que os drones tripulados poderão ser uma solução para combater o trânsito: “O Japão é um país com uma densidade populacional muito elevada, e como tal, carros voadores poderão ser a solução para diminuir o trânsito no país”.
Comentários