Rússia sofreu 25 milhões de ciberataques durante o campeonato do mundo, segundo Putin

O anúncio foi feito pelo presidente Vladimir Putin no último domingo durante um encontro com os serviços secretos do país.

Vladimir Putin

“Durante o Mundial 2018, perto de 25 milhões de ciberataques e outros atos criminosos contra as estruturas de informação na Rússia, de alguma forma ligadas ao campeonato do mundo, foram neutralizados”. A afirmação é de Vladimir Putin, presidente russo e foi proferida no domingo, durante um encontro com os serviços secretos do país.

De acordo com a agência noticiosa “RT” Vladimir Putin agradeceu a ajuda dos 55 representantes dos serviços secretos russos e outras forças de autoridade de 34 países, ao longo do último mês, período em que teve lugar o mundial de futebol.

“Quero agradecer a atitude de todos por este evento. “Por trás deste êxito, está um importante trabalho de preparação, operacional, de análise e de informações, para o qual utilizámos todas as nossas forças, a nossa concentração esteve no seu máximo”, afirmou o presidente russo.

A Rússia tem sido um dos países mais visados sobre casos de espionagem através da internet. Na última sexta-feira doze membros de forças policiais russas foram acusados de estarem envolvidos num processo de espionagem, que terá afetado as eleições norte-americanas em 2016.

No entanto, Moscovo tem negado sempre qualquer envolvimento no processo que acabou com a vitória de Donald Trump.puitin

Relacionadas

Júri federal dos EUA acusa 12 polícias russos de envolvimento nas eleições de 2016

A acusação alega a invasão da rede informática dos computadores do partido democrata de Hillary Clinton, onde terão transferido documentos para uma outra entidade que não foi revelada.
Recomendadas

Especialistas defendem aprovação da requisição civil pelo Governo antes da greve dos motoristas

Por o setor dos combustíveis ser transversal a muitos setores económicos, especialista em legislação laboral defendem que o Governo pode avançar para a requisição civil antes da greve, tal como aconteceu na TAP em 2014.

Como sobreviver à greve dos motoristas de combustível? Siga estas 5 dicas

Consulte o manual de sobrevivência elaborado pela Deco para a greve dos motoristas dos combustíveis.

Greve dos camionistas: AIP apela aos “bens superiores” da Constituição para travar a paralisação

A associação presidida por José Eduardo Carvalho alerta o Governo para que os serviços mínimos para minorar os efeitos desta paralisação abranjam as indústrias transformadoras que fiquem condicionadas pela falta de abastecimento de combustíveis como o gás natural, gás propano liquefeito (GPL), azoto líquido e oxigénio.
Comentários