Seixas da Costa: “Itália é a maior ameaça ao euro desde a sua criação”

Ironicamente, a China é neste momento o garante da estabilidade global, como se viu com a Coreia do Norte. Do outro lado estão os Estados Unidos.

A agenda da próxima cimeira da União Europeia parece deixar de fora uma série de assuntos que deveriam estar na ordem do dia do debate.

Esta vai ser a cimeira da tragédia italiana. A questão italiana é a maior ameaça potencial à estabilidade do euro desde a sua criação – bem mais que a situação grega ou a portuguesa. Estamos a falar de um país central do euro. Eu sei que os conselhos europeus normalmente só têm êxitos: não tratam de tragédias, por isso vão querer disfarçar aquilo de qualquer maneira. Ainda não estamos numa situação de impasse em relação à nova estrutura de sustentação do euro. Não sei em que medida o debate europeu está a prosseguir, mas este é um tempo muito complexo. É um momento de verdade, porque a Itália é mais importante que a Espanha, estamos a falar – depois dos dois principais países [Alemanha e França] e com a nuvem do Brexit – num grande país.

O nome de que se fala para primeiro-ministro apresentou um currículo falso…

Parece que isso agora é moda na Europa! E o facto de haver um desafio objetivo aos desafios europeus. Terá havido algum recuo, mas o programa do Movimento 5 Estrelas é desastroso e muito claramente desafiante da estabilidade do Euro. Tudo aquilo é muito grave.

Por outro lado, o programa da coligação fará aumentar a despesa de Itália de uma forma exponencial.

É a recusa implícita dos compromissos da Itália no quadro europeu. Se estivéssemos a falar de um país pequeno… mas um país com a dimensão da Itália tem consequências. Como esta: os juros da dívida portuguesa subiram em função das taxas de juro pagas por Itália. O grande drama destes conselhos europeus é que estão a tornar-se estranhos: começam de uma maneira e acabam de outra, discutindo coisas que não existiam quando foram convocados.

 

Artigo publicado na edição semanal do Jornal Económico. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Ler mais
Recomendadas

“Que Deus abençoe a memória daqueles em Toledo”. Trump engana-se no nome da cidade do massacre no Ohio

O presidente norte-americano referiu-se referiu a Toledo, e não a Dayton, nas suas observações sobre um dos recentes massacres onde morreram nove pessoas e outras 27 ficaram feridas.

A “Casa de Papel” na vida real: Assalto à Casa da Moeda do México leva dos cofres 50 milhões em menos de 4 minutos

Os assaltantes conseguiram desarmar um guarda e furar todas as barreiras de segurança até chegarem ao cofre de segurança, que estaria aberto. Em menos de quatro minutos, o grupo de homens roubou e fugiu do edifício sem que a polícia tivesse sequer chegado.

Japão testa drones que transportam pessoas para diminuir o trânsito

Os responsáveis pelo projeto apontam que os drones tripulados poderão ser uma solução para combater o trânsito: “O Japão é um país com uma densidade populacional muito elevada, e como tal, carros voadores poderão ser a solução para diminuir o trânsito no país”.
Comentários