Sérgio Sousa Pinto defende Passos contra os “insultos vomitados” e a indignação de “pessoal menor da Academia”

O deputado do PS escreveu um texto no Facebook a defender Passos como professor do ISCSP.

“A experiência de um ex-primeiro-ministro, qualquer que seja, é única e valiosa”. Arrancou assim o texto escrito pelo deputado do PS Sérgio Sousa Pinto, na rede social Facebook, partilhando e comentando uma notícia publicada pelo Observador, de que Pedro Passos Coelho será professor do ISCSP.

O texto é uma defesa da opção do ex-primeiro-ministro, contra os “insultos vomitados” por alguns e contra a “indignação de meia dúzia de pessoal menor da Academia”.

“A pátria, chocada, vomita insultos. Meia dúzia de pessoal menor da Academia, devidamente encartada de títulos e graus, inchou de indignação. A universidade, desviada por instantes do negócio dos doutoramentos, habituada a debitar doutores como salsichas rugiu. Acham, certamente, que Passos não é um Vitorino Magalhães Godinho ou um Lindley Cintra. É certo. E dos atuais doutores encartados, quantos são?”

O Jornal Económico já tinha noticiado a 28 de janeiro, em primeira mão, que Passos Coelho se preparava para “abraçar” a vida de professor universitário. Informação agora reforçada com a descoberta da instituição que receberá Passos.

De acordo com a newsmagazine “Visão”, Pedro Passos Coelho aceitou o convite da direção do ISCSP, presidida por Manuel Meirinho, ex-deputado do PSD na Assembleia da República, depois de ter renunciado ao mandato de deputado no Parlamento, no final de fevereiro.

O Conselho Científico do ISCSP já terá autorizado a entrada do antecessor de Rui Rio no quadro docente da faculdade, localizada no pólo universitário do Alto da Ajuda, em Lisboa.

Pedro Passos Coelho deverá ficar associado a disciplinas relacionadas, essencialmente, com economia e lecionadas em mestrados e doutoramentos, referiu a “Visão”.

Entre o corpo docente do ISCSP contam-se também antigos governantes como Luís Amado (antigo-ministro dos Negócios Estrangeiros), Rui Pereira (antigo ministro da Administração Interna) e António de Sousa Lara (antigo secretário de Estado da Cultura).

O antigo presidente do Tribunal de Contas Guilherme d’Oliveira Martins, António Rebelo de Sousa, irmão do atual Presidente da República, e António José Seguro, antigo secretário-geral do PS, também dão aulas naquela faculdade.

Antes de ter sido primeiro-ministro (2011-2015), o social-democrata já tinha sido professor no Instituto Superior de Ciências Educativas.

Ler mais
Relacionadas

Do Parlamento para a faculdade. Passos Coelho vai dar aulas no ISCSP

O Conselho Científico do ISCSP já terá autorizado a entrada do antecessor de Rui Rio na liderança do PSD no quadro docente da faculdade, localizada no Pólo Universitário do Alto da Ajuda, em Lisboa.
Recomendadas

Marcelo aprova aumentos de 700 euros para juízes, mas critica fosso salarial face aos polícias e militares

Marcelo Rebelo de Sousa destaca que os juízes, e membros de autoridades reguladoras e de supervisão a entidades públicas empresariais e empresas públicas, passando por outras entidades administrativas, já estão com salários mais elevados do que o primeiro-ministro. O Presidente exige que a desigualdade salarial seja “encarada na próxima legislatura”.

Incêndios florestais caíram 26% este ano face a 2018

“Estamos, até hoje, com 6.800 incêndios desde o início do ano, o que significa que temos um número de incêndios 36% inferior à média dos últimos dez anos. E uma área ardida 42% inferior à média dos últimos dez anos”, sublinhou Eduardo Cabrita.

Proteção Civil tem reservas de combustível para “mais de dois meses”

Apesar de garantir que existem reservas para mais de dois meses, Eduardo Cabrita sublinha que as prioridades têm de ser asseguradas quando se fala numa dificuldade de distribuição.
Comentários