Sonae e EDP dão ânimo à bolsa nacional. Europa segue em alta

A Sonae é a estrela desta sessão, estando a somar 2,10% para 0,974 euros. A EDP e REN estão a ser impulsionadas pelos bons resultados trimestrais comunicados esta quinta-feira à CMVM.

Reuters

A meio da sessão desta quinta-feira, dia 26 de julho, a bolsa portuguesa está a negociar com sentimento positivo, acompanhando as congéneres europeias, que seguem em alta. O principal índice nacional, PSI 20, valoriza 0,23% para 5.606,08 pontos, impulsionado pela Sonae e EDP.

A Sonae é a estrela desta sessão, estando a somar 2,10% para 0,974 euros. Os investidores estão confiantes, no dia em que vão ser conhecidos os resultados trimestrais da dona do Continente, relativos ao primeiro semestre do ano. Em alta está também a concorrente Jerónimo Martins, que avança 0,65% para 12,465 euros. Esta última está agora a recuperar das fortes quedas da sessão de quinta-feira, depois de as receitas no primeiro semestre terem ficado ligeiramente abaixo do que era esperado pelo mercado.

Entre as energéticas, a EDP avança 0,78% para 3,485 euros. Os investidores estão confiantes, no dia em que vão ser conhecidos os resultados trimestrais da dona do Continente, relativos ao primeiro semestre do ano. No mesmo setor, a Jerónimo Martins avança 1,49% para 12,570 euros. Esta última está agora a recuperar das fortes quedas da sessão de quinta-feira, depois de as receitas no primeiro semestre terem ficado ligeiramente abaixo do que era esperado pelo mercado.

Os analistas do Bankinter afirma que a EDP apresentou “resultados melhores do que o estimado, mas que terão pouco impacto na cotação da EDP na sessão de hoje”. “Os investidores continuarão de olhos postos no desenrolar da OPA lançada pela China Three Gorges (CTG) em maio, assim como no possível aparecimento de ofertas alternativas por parte de um outro player, um cenário que não descartamos que possa vir a materializar-se”, explicam.

A REN apresentou também resultados esta quinta-feira, após o fecho do mercado. A REN registou no primeiro semestre do ano um resultado líquido de 52,8 milhões de euros. O valor representa uma quebra ligeira de 0,3% face ao período homólogo de 2017. Já o resultado líquido recorrente atingiu 78,4 milhões de euros, o que se traduz numa quebra mais acentuada de 3% face ao mesmo período do ano passado. A cotada segue a valorizar 1,13% para 2,502 euros.

Os analistas do Bankinter afirmam que os resultados apresentados trouxeram “poucos surpresas”, com “a integração da Portgás no final de 2017 a evitar uma queda expressiva dos lucros no primeiro semestre de 2018”. “A empresa atravessa um período algo desafiante, com as alterações do quadro regulatório a coincidirem com a queda das yields das OTs, que servem de referência para as taxas de remuneração dos ativos da empresa. Em todo o caso, valorizamos a estratégia de expansão inorgânica que está a ser levada a cabo pela REN, de forma a mitigar o impacto deste entorno regulatório”, defendem.

Em terreno positivo estão também a Pharol (1,30%), os CTT (0,86%), a NOS (0,20%), a Semapa (0,24%), a Mota-Engil (0,17%) e a Corticeira Amorim (0,71%).

Em contraciclo, destaca-se o BCP, que perde 0,07% para 0,268 euros. O banco agora liderado por Miguel Maya apresentou à CMVM um resultado líquido de 150,6 milhões de euros no primeiro semestre de 2018, o que se traduz num crescimento de 67,5% face aos 89,9 milhões de euros registados no mesmo período do ano anterior. A cotada soma agora 0,52% para 0,270 euros.

A negociar no ‘vermelho’ estão a Navigator (-1,05%), a Altri (-0,89%), a EDP Renováveis (-0,11%), a Galp Energia (-0,23%), a Ibersol (-0,99%) e a Sonae Capital (-0,98%).

Nas restantes bolsas europeias, o índice alemão DAX soma 0,49%, o francês CAC 40 valoriza 0,33%, o espanhol IBEX 35 aprecia 0,72%, o italiano FTSE MIB sobe 0,30%, o holandês AEX ganha 0,50% e o britânico FTSE 100 avança 0,58%.

A cotação do barril de Brent, que serve de referência para a Europa, recua ligeiramente 0,03% para 74,56 dólares, enquanto a do crude WTI perde 0,20%, para 69,47 dólares por barril.

No mercado cambial, o euro recua ligeiramente 0,05% para 1,163 dólares e a libra deprecia 0,11%, para 1,309 euros.

Ler mais
Recomendadas

Como a Indústria 4.0 pode ajudar a criar a fábrica do futuro

A fábrica do futuro é o centro de uma cadeia de distribuição que combina clientes, fornecedores, distribuidores e parceiros com sistemas analíticos avançados. Isso pode levar a uma “produção perfeita” com o mínimo de tempo de inatividade, negligência, desperdício e ineficiência.

Sustentabilidade no investimento: menos risco, mais valor

Reduzir a quantidade de plásticos descartáveis ou viajar de comboio são duas formas de reduzir a nossa pegada ecológica. E no investimento, o que podemos fazer para reforçar a sustentabilidade?
Comentários