Sonae valoriza 5% e o PSI 20 fecha em terreno positivo

A retalhista apresentou lucros de 166 milhões de euros em 2017 e anunciou um investimento de 105 milhões de euros em inovação. A Bolsa de Lisboa seguiu a tendência europeia de ganhos.

A Bolsa de Lisboa avançou esta quinta-feira 0,38% para 5.440,8 pontos, em linha com a tendência de ganhos na Europa. O índice de referência nacional fechou com quase todas as cotadas no verde, mas o destaque esteve na Sonae.

O dia do mercado bolsista português ficou marcado pela apresentação de resultados da retalhista. Os lucros aumentaram para 166 milhões de euros em 2017, anunciou um investimento de 105 milhões de euros em inovação e as ações ganharam 5,52% para 1,187 euros. “Os investidores animaram-se pelos resultados publicados pela holding“, explicam os analistas do BPI.

“As receitas aumentaram 7% face a 2016, com a empresa a beneficiar do crescimento de vendas nas divisões de retalho alimentar e retalho especializado. O EBITDA aumentou 10,20% para os 123 milhões de euros (vs 116 milhões de euros esperados), reflexo de uma melhor contribuição das áreas de retalho alimentar e não alimentar”, referem, acrescentando que “a redução da dívida líquida da Sonae foi melhor do que esperado”, mas que “o destaque destes resultados vai para a possibilidade levantada de colocar em bolsa a divisão de retalho do grupo, mantendo a maioria accionista”.

Ainda a impulsionar o PSI 20 estiveram também a Mota-Engil (2,49%), a Sonae Capital (1,93%), a Pharol (0,84%), os CTT (0,77%), a Semapa (0,63%) e a Jerónimo Martins (0,36%).

Apesar disso, “o mercado nacional encerrou em ligeira alta, já que a performance negativa das ações do BCP, da NOS e da Galp não permitiu ganhos superiores”, explicam os analistas do BPI.

As ações do banco perderam 0,10% para 0,2858 euros, enquanto a petrolífera recuou 0,23% para 15,075 euros e a operadora de telecomunicações deslizou 0,08% para 4,896 euros. A Navigator desvalorizou 0,35% e a Ibersol 2,14%.

“Apesar dos contínuos receios relativamente ao comércio global, os mercados europeus terminaram em alta, animados pelos dados económicos e resultados empresariais publicados. A maioria dos setores negociou em alta, não obstante a underperformance relativa das empresas de telecomunicações e os produtores de matérias-primas. As seguradoras figuraram entre os melhores performers“, acrescentaram.

O Euro Stoxx 50 avançou 0,67%, o alemão DAX subiu 0,90%, o francês CAC 40 ganhou 0,67%, o britânico FTSE 100 subiu 0,10% e o espanhol IBEX 35 valorizou 0,02%. Os ganhos foram, no entanto, liderados pelo índice italiano FTSE MIB, que avançou 1,16%.

No mercado cambial, o euro deprecia-se 0,42% para 1,231 dólares, a prolongar a desvalorização contra a par norte-americana pela segunda sessão consecutiva. Os juros das dívidas soberanas benchmark da zona euro recuaram esta quinta-feira, com a Alemanha nos 0,57%, França nos 0,82%, Itália nos 1,98% e Espanha nos 1,28%. As yields das Obrigações a 10 anos de Portugal desceram 1,5 pontos base para 1,78%.

[Notícia atualizada às 17h05]

Ler mais

Relacionadas

Sonae prepara área do retalho para entrar no mercado de capitais

O grupo ainda só tem o objetivo, falta a forma como o atingir. Entretanto, a internacionalização é cada vez mais uma prioridade – numa empresa que recorre cada vez menos ao capital de terceiros.

Bolsa portuguesa chega a meio da sessão no “verde”, impulsionado pela Sonae

O principal índice bolsista nacional, o PSI 20, avança ligeiramente 0,19%, para 5.430,26 pontos, numa altura em que as praças europeias estão em alta.

Sonae aumenta dividendo em 5% e vai pagar 4,2 cêntimos por ação

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Sonae refere que este dividendo corresponde a um ‘dividend yield’ de 3,7% relativamente à cotação de fecho do dia 31 de dezembro de 2017 (que se fixou em 1,126 euros) e a um ‘payout ratio’ de 64% face ao resultado direto atribuível aos acionistas.

Grupo Sonae atinge lucros de 166 milhões de euros

Com um volume de negócios de 5,710 mil milhões de euros, a dívida líquida diminuiu mais de 100 milhões e os investimentos ultrapassaram os 316 milhões. O grupo já está a operar em 90 países.

Sonae investe 105 milhões de euros em inovação no retalho

Livro de Inovação no Retalho 2017 sintetiza principais projetos implementados na Sonae ao nível da inovação. O contributo para os resultados mas também para a economia social é elevado.
Recomendadas

PSI 20 acompanha Europa em alta. Títulos do Grupo EDP impulsionam praça nacional

O principal índice bolsista português soma 0,46%, para 4.855,54 pontos.

Abrandamento da economia poderá ser entrave para Moody’s igualar as pares na avaliação de Portugal

A Moody’s tem agendada uma avaliação à notação da dívida soberana portuguesa esta sexta-feira. A agência poderá querer alinhar-se com a S&P e a Fitch através de uma subida de um grau para ‘Baa2’, mas as incertezas que estão a esfriar o crescimento da economia global poderão ser motivo para manter o ‘status quo’.

Acalmia cambial trouxe bons resultados em Wall Street

O índice tecnológico S&P, .SPL.RCT, que inclui empresas que têm uma maior exposição ao mercado chinês e estiveram no centro das vendas registadas na segunda-feira, foi aquele que mais valorizou nesta sessão, com um crescimento de 1,61%.
Comentários