Startup de blockchain Paxos angaria 56 milhões de euros

A empresa vai utilizar o dinheiro arrecadado de investidores como RRE Ventures e Liberty City Ventures para expandir as suas operações.

Cristina Bernardo

A startup de blockchain e criptomoedas Paxos arrecadou esta quinta-feira 65 milhões de dólares (cerca de 56 milhões de euros) de investidores como as sociedades de capital de risco RRE Ventures e Liberty City Ventures e de private equity Jay Jordan.

A Paxos já conseguiu um total de 93 milhões de dólares (aproximadamente 80 milhões de euros).“É um momento crucial nos mercados financeiros. Estamos num ponto de inflexão para reduzir o risco do nosso sistema financeiro e libertar capital preso num sistema de liquidação arcaico”, afirmou o CEO da Paxos, Charles Cascarilla, em comunicado divulgado hoje.

A microempresa tecnológica anunciou na mesma nota que fechou uma ronda de financiamento de série B e que utilizará a injeção de capital para expandir as suas operações, nomeadamente a venda de serviços com base em blockchain para instituições financeiras.

“Esse financiamento adicional irá ajudar as nossas metas de eliminar o risco de liquidação e expandir as nossas ofertas de produtos em todas as regiões geográficas”, explicou Andrew Chang, COO da Paxos, acrescentando que a startup irá continuar a investir na expansão da plataforma. “Simplifica a nossa infraestrutura financeira, oferece maior controlo e estabelece as bases para o futuro”, frisou o responsável.

Recomendadas

Três empresas estrangeiras vencem programa de aceleração da Fábrica de Startups e Turismo de Portugal

A Dgroops, B2Book.net e Guide121 vieram do Chipre, de Itália e do Brasil e conquistaram o júri e o público português que os ouviu no Templo da Poesia, em Oeiras.

Startup Automaise recebe meio milhão de euros para desenvolver software e recrutar

A empresa de Braga, fundada por Ernesgto Pedrosa e Carlos Oliveira, foi financiada pela Bright Pixel e Armilar.

Martin Kern: “Uma economia não se mede apenas pelo número de unicórnios”

Em entrevista ao Jornal Económico, o diretor do Instituto Europeu da Inovação e da Tecnologia refere que o aumento orçamental proposto pela Comissão Europeia para os próximos anos pode beneficiar as startups e as atividades de investigação em Portugal.
Comentários