Supervisores financeiros e IEFP assinam acordo para a formação financeira

O Conselho Nacional de Supervisores Financeiros e Instituto do Emprego e Formação Profissional assinaram um acordo de cooperação para a promoção da formação financeira.

Cristina Bernardo

Conselho Nacional de Supervisores Financeiros (Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, Banco de Portugal e Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões) e o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) assinaram um Acordo de Cooperação para a promoção da formação financeira na formação profissional, no âmbito do Plano Nacional de Formação Financeira, revela a CMVM em comunicado.

O acordo foi assinado, pela Presidente da CMVM, Gabriela Figueiredo Dias, pelo Presidente do CNSF, Carlos da Silva Costa, pela Vice-Governadora do BdP, Elisa Ferreira e pelo Presidente da ASF, José Figueiredo Almaça e em representação do IEFP pelo seu Presidente, António Valadas da Silva e pelo seu Vice-Presidente Paulo Feliciano.

A implementação do presente Acordo tem como linhas de ação a realização de sessões de formação financeira dirigidas aos formadores dos centros de formação profissional; o apoio a iniciativas de formação financeira que, posteriormente, venham a ser desenvolvidas por estes; a divulgação junto da rede nacional de centros de formação profissional da importância da inclusão dos conteúdos de formação financeira nos percursos formativos; e a colaboração na produção de materiais adequados às diversas iniciativas.

O objetivo deste acordo “é a promoção e a integração de conteúdos de formação financeira nos percursos formativos dos cursos de formação profissional ministrados pelos centros de emprego de todo o país, aproveitando a distribuição regional destes centros e reforçando assim a capilaridade das iniciativas do Plano”.

“Para o CNSF trata-se de uma parceria fundamental para potenciar o efeito multiplicador da formação financeira, num contexto económico e tecnológico em que às pessoas é exigido cada vez mais que estejam capacitadas para uma gestão ativa da sua situação profissional, seja enfrentando a diminuição de rendimentos, seja por exigência de mobilidade”, refere o comunicado.

“Os supervisores financeiros e o IEFP reconhecem que a integração de conteúdos de formação financeira nos cursos de formação profissional de adultos e jovens proporciona a aquisição de competências para a sua melhor integração no mercado de trabalho”, lê-se no comunicado que adianta que “para o IEFP é importante que a formação possa também qualificar as pessoas através do desenvolvimento de competências transversais, das quais os temas financeiros constituem uma vertente essencial”.

 

Ler mais

Recomendadas

Inovação e empreendedorismo

Há que aplicar as novas tecnologias à cadeia de valor de uma empresa para que esta possa fornecer a melhor resposta ao cliente, conhecendo e focando-se nas necessidades que este tem. Neste ponto as startups representam uma mais-valia.

CGD avalia ações contra gestores que aprovaram crédito a Vale do Lobo

Advogados da CGD estão a avaliar ações cíveis contra gestores da administração de Santos Ferreira que deram ‘luz verde’ a operação Vale do Lobo. Parecer é entregue após o verão para decisão final.

JP Morgan bem posicionado para liderar entrada em bolsa da WeWork

Dona da WeWork vai emitir obrigações até seis mil milhões de dólares e fontes próximas da empresa revelaram que a instituição financeira que montar esta operação poderá ter papel ativo na entrada em bolsa da WeWork.
Comentários