Tancos: Presidente preocupado quer “esclarecimento cabal” sobre material roubado

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, reafirmou hoje “a exigência de esclarecimento cabal” do ocorrido com o desaparecimento de armamento em Tancos, há um ano, e manifestou “preocupação”.

Foto: Cristina Bernardo

Numa nota publicada esta noite na página oficial da Presidência da República, após ter sido divulgada uma notícia do jornal Expresso a dizer que “ainda há explosivos de Tancos à solta”, Marcelo Rebelo de Sousa diz que reafirma essa exigência de esclarecimento “de modo ainda mais incisivo e preocupado”.

A nota de preocupação do Presidente surge no mesmo dia em que foi conhecida a primeira página do semanário Expresso de sábado, na qual se diz que, ao contrário do divulgado pelo Exército e pelo Ministro da Defesa, o Ministério Público diz que ainda há material militar desaparecido e que há granadas e explosivos que não foram encontrados.

No final de junho do ano passado desapareceu diverso armamento e munições dos paióis de Tancos. Em outubro grande parte desse material foi encontrado na Chamusca.

Na nota Marcelo Rebelo de Sousa, que por inerência é o Chefe Supremo das Forças Armadas, diz ter a certeza “de que nenhuma questão envolvendo a conduta de entidades policiais encarregadas da investigação criminal, sob a direção do Ministério Público, poderá prejudicar o conhecimento, pelos portugueses, dos resultados dessa investigação”.

“Que o mesmo é dizer o apuramento dos factos e a eventual decorrente responsabilização”, conclui o Presidente da República.

A 01 de março passado, o Presidente da República defendeu uma investigação “mais longe e a fundo” aos casos que envolveram as Forças Armadas nos últimos tempos, como o do desaparecimento de armamento do paiol de Tancos.

O alerta foi deixado por Marcelo Rebelo de Sousa na cerimónia de posse do novo Chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas (CEMFA), almirante António Silva Ribeiro, no Palácio de Belém, em Lisboa, e em que falou nos desafios e dificuldades da instituição nos últimos anos.

Ler mais
Relacionadas

Tancos: Marcelo reafirma “querer ver apurados os factos e os efeitos jurídicos e criminais”

Numa nota deixada na página da Presidência da República Portuguesa, é reforçado o papel fundamental do Ministério Público relativamente ao desaparecimento de material de guerra ocorrido em Tancos.

Tancos: Dois dos coronéis suspensos podem ser promovidos a general

Paulo Almeida, que comanda o Regimento de Engenharia nº1 em Tancos, e Ferreira Duarte, que lidera o Regimento de Infantaria 15, em Tomar, foram selecionados para fazerem parte do próximo curso de promoção a oficial general.

Tancos: Marcelo espera clarificação dos factos através da investigação judicial

O Presidente da República referiu hoje já ter lido o relatório do Governo sobre Tancos, mas preferiu falar da investigação judicial a este caso, reafirmando que espera que clarifique os factos e eventuais responsáveis.
Recomendadas

Marcelo aprova aumentos de 700 euros para juízes, mas critica fosso salarial face aos polícias e militares

Marcelo Rebelo de Sousa destaca que os juízes, e membros de autoridades reguladoras e de supervisão a entidades públicas empresariais e empresas públicas, passando por outras entidades administrativas, já estão com salários mais elevados do que o primeiro-ministro. O Presidente exige que a desigualdade salarial seja “encarada na próxima legislatura”.

Incêndios florestais caíram 26% este ano face a 2018

“Estamos, até hoje, com 6.800 incêndios desde o início do ano, o que significa que temos um número de incêndios 36% inferior à média dos últimos dez anos. E uma área ardida 42% inferior à média dos últimos dez anos”, sublinhou Eduardo Cabrita.

Proteção Civil tem reservas de combustível para “mais de dois meses”

Apesar de garantir que existem reservas para mais de dois meses, Eduardo Cabrita sublinha que as prioridades têm de ser asseguradas quando se fala numa dificuldade de distribuição.
Comentários