TAP volta ao debate na Madeira com instalação de comissão de inquérito ao cancelamento de voos

Os cancelamentos de voos da TAP para a Madeira têm recebido críticas por parte do executivo madeirense e também dos partidos que compõem a Assembleia Regional. O governo já tinha anunciado a sua intenção de processar a companhia aérea pelos danos causados à economia.

A Assembleia Legislativa da Madeira vai instalar uma comissão de inquérito à TAP devido ao cancelamento de voos esta quarta-feira numa postura que volta a colocar a companhia aérea no centro do debate político na região autónoma depois das críticas lançadas nas últimas semanas ao comportamento da empresa relativamente à Madeira.

Já é bem conhecido o tom de crispação existente entre o Governo Regional, a TAP, e os restantes partidos que compõem a Assembleia Regional, relativamente à postura da companhia aérea perante a região.

O tom do debate promete ser elevado tendo em que conta que o parlamento regional, através da bancada do PSD, volta a colocar a TAP no centro do debate, com a instalação a partir desta quarta-feira de uma comissão de inquérito para analisar os cancelamentos de voos da companhia aérea.

Entre as causas que justificam esta comissão dizem os sociais democratas está a necessidade de se “efectuar uma análise à política de gestão da TAP em relação à Madeira e aos madeirenses”.

O presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, já tinha afirmado que desde o início do ano já foram cancelados 72 voos para a Madeira e que essa situação já afectou 11 mil passageiros e que se esta situação se mantivesse iria trazer “danos irreversíveis para a economia”.

“Esta atitude está a destruir a nossa economia. Temos de combater estas situações. Isto é inadmissível num país como o nosso. A República e o ministro do Planeamento não estão a fazer nada sobre este assunto”, denunciou.

Mas nestas críticas o governante não está só. O CDS-PP Madeira já tinha apelado ao executivo madeirense para criar um plano que atraísse mais uma companhia aérea para a Região. Os centristas classificaram os cancelamentos da TAP como sendo “uma vergonha” e que era preciso colocar “um fim à maneira como a TAP está a tratar a Madeira”.

A TAP chegou a lamentar os cancelamentos registados na noite de 25 de junho (um dos dias em que se verificaram cancelamentos de voos para a Região Autónoma) na Madeira e no Porto, enumerando “contingências imponderáveis”, como mau tempo, obras e greve.

O ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, já tinha dito que a TAP estava a “sofrer dores de crescimento” e está a responder a ineficiências operacionais.

De referir que o executivo madeirense já tinha anunciado a sua intenção de colocar a TAP em tribunal devido aos prejuízos que tem causado à economia regional.

 

 

Este aliás é um dos temas abordados na edição de julho, do Económico Madeira, que pode ser consultada aqui, onde a oposição apoia o executivo nesta intenção de processar a TAP.

Ler mais
Relacionadas

Albuquerque acusa TAP de ter problema de piromania, governante diz que a Madeira tem de defender os seus interesses

O presidente do Governo Regional diz que os constantes cancelamentos da TAP em voos para a Madeira está a destruir a economia da Região. O governante exigiu a intervenção da República na companhia aérea de maneira a “coloca-la na ordem” e também “acautelar as ligações para as Regiões Autónomas”.

TAP culpa aeroporto de Lisboa por “sérios danos” na sua pontualidade

Como principal companhia aérea a operar no Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, a TAP é, assim, a “mais afetada pelos graves constrangimentos desta infraestrutura aeroportuária”, disse fonte oficial da transportadora à agência Lusa.

Governo regional da Madeira vai processar a TAP por danos causados à economia

O presidente do governo regional diz que o processo já está em andamento e considera “uma vergonha” a forma como a transportadora aérea tem tratado os madeirenses.

Governo afirma que TAP está a “sofrer dores de crescimento”

O ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, disse esta quarta-feira no parlamento que a TAP está a “sofrer dores de crescimento” e está a responder a ineficiências operacionais, nomeadamente através da alteração do “processo de instrução” dos pilotos.
Recomendadas

PremiumO Vinho Madeira que passa de geração em geração desde 1850

O maior desafio do Vinho Madeira é aumentar a produção das castas nobres Sercial, Verdelho, Boal, Malvasia e Terrantez, e diminuir a produção da Tinta Negra, “que já é excessiva”, diz Pereira de Oliveira.

PremiumDireito ainda está “fora de questão” mas “poderia reter” estudantes na região

Para já, não está em cima da mesa a criação de uma licenciatura em Direito na UMa, mas o reitor José Carmo diz que o curso tem procura local.

PremiumO valor do patrocínio num evento como o Rali Vinho Madeira

O Rali Vinho Madeira é um evento que ao longo dos anos tem atraído milhares às estradas madeirenses. Mas nem só de público vive esta prova de desporto motorizado. O patrocínio é outras das vertentes que sustenta e ajuda a levar cada edição a bom porto. Entre os patrocinadores estão marcas e empresas como a MEO e o BPI.
Comentários