Telles assessora Science4You no apoio de 10 milhões de euros do Banco Europeu de Investimento

A empresa foi financiada no âmbito do Plano Juncker e assessorada juridicamente por Márcio Carreira Nobre, Bruno Azevedo Rodrigues e André Magalhães.

A Telles de Abreu Associados apoiou a Science4You no financiamento de 10 milhões de euros do Banco Europeu de Investimento (BEI), quando a empresa de brinquedos didáticos foi premiada no Debt Venture Summit.

A equipa dos departamentos de Financeiro e Comercial do escritório foi responsável pela assessoria jurídica, nomeadamente os advogados Márcio Carreira Nobre (of counsel de Financeiro, Projetos e Mercado de Capitais), Bruno Azevedo Rodrigues (sócio de Financeiro, Projetos e Mercado de Capitais) e André Magalhães (estagiário de Direito Comercial e Societário).

A operação surgiu no âmbito do financiamento criado pelo BEI como parte do Plano Juncker para startups e Pequenas e Médias Empresas. A Science4You a viajou até Luxemburgo a 21 de março e foi uma das empresas que se destacaram num universo de 2000 candidaturas.

“Foi um processo inovador e eficaz apesar da complexidade da operação. Toda a equipa, desde financeiros a consultores jurídicos, que ao longo de um ano trabalhou neste projeto, está de parabéns”, afirma Miguel Pina Martins, CEO da Science4you, sublinhando que lhes trouxe a “energia’ de que precisavam.

Recomendadas

Portugal é o mercado externo mais atrativo para as sociedades de advogados de Espanha

Portugal é visto como um lugar prioritário e de elevado crescimento para as sociedades de advogados do país vizinho, em especial os da área jurídica, com as cidades de Lisboa e Porto a serem as mais procuradas.

Indico Capital captou 1,1 milhões de euros para a EatTasty com assessoria da Cuatrecasas

A Cuatrecasas assessorou a Indico Capital Partners no fecho de uma ronda de investimento seed (fase inicial) para a startup EatTasty, no valor de 1,1 milhões de euros.

Novas regras no sector imobiliário

Assiste-se a um aumento da burocracia e da responsabilidade das “Entidades Imobiliárias” que se vêem obrigadas elas próprias a promover o controlo e prevenção do branqueamento de capitais e financiamento do terrorismo.
Comentários