‘Tempus Fugit’ em exposição na Biblioteca Pública da Madeira

A exposição vai estar patente até 10 de setembro num trabalho que pretende assinalar o nascimento de Max numa parceria entre a Biblioteca Pública e a Universidade da Madeira.

A exposição ‘Tempus Fugit: Da Vida à Memória Dela III – Manifestações Gratulatórias’ é inaugurada esta quinta-feira no Arquivo Regional e Biblioteca Pública da Madeira (ABM).

O trabalho pretende fazer uma alusão ao centenário do nascimento de Maximiano de Sousa, Max, numa parceria entre a ABM e a Universidade da Madeira.

A exposição temporária vai estar patente, na ABM, até 10 de setembro.

De referir que já foi feita uma doação do espólio de Max, à Madeira, através da ABM, numa iniciativa integrada nas celebração do nascimento do artista.

O artista tornou-se um símbolo da identidade madeirenses e o seu trabalho tinha como um dos objectivos  enaltecer “as virtudes do homem e do artista”.

Recomendadas

PremiumO Vinho Madeira que passa de geração em geração desde 1850

O maior desafio do Vinho Madeira é aumentar a produção das castas nobres Sercial, Verdelho, Boal, Malvasia e Terrantez, e diminuir a produção da Tinta Negra, “que já é excessiva”, diz Pereira de Oliveira.

PremiumDireito ainda está “fora de questão” mas “poderia reter” estudantes na região

Para já, não está em cima da mesa a criação de uma licenciatura em Direito na UMa, mas o reitor José Carmo diz que o curso tem procura local.

PremiumO valor do patrocínio num evento como o Rali Vinho Madeira

O Rali Vinho Madeira é um evento que ao longo dos anos tem atraído milhares às estradas madeirenses. Mas nem só de público vive esta prova de desporto motorizado. O patrocínio é outras das vertentes que sustenta e ajuda a levar cada edição a bom porto. Entre os patrocinadores estão marcas e empresas como a MEO e o BPI.
Comentários